Resumo: nozik robert. in: "anarquia, estado e utopia" capítulo a justiça distributiva págs 192 a 223, rio de janeiro, jorge zahar, 1991. tradução de ruy jungmann, publicado com a autorização da editora.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (542 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O Estado mínimo deve ser o mais extenso que se possa justificar porque qualquer outro mais amplo viola os direitos das pessoas, e a alegação de um estado maior poderia vir ser necessário para seconseguir a justiça distributiva, que ao contrário do que as pessoas supõem, inexiste princípio ou critério para parcelar, dividir e o suprimento das coisas jamais será neutro, pois não há distribuiçãocentral, pessoa ou grupo que tenha o direito de tomar para sim o direito de controlar os recursos com algum critério.
Dentro das teorias da propriedades existem três tópicos principais, a saber: aaquisição inicial das propriedades, a transferência de uma pessoa a outra, e a injustiça passada que levaria a reparação da injustiça na propriedade.
Nos princípios históricos e princípios de resultadofinal, cita que se uma distribuição é justa ou não, depende de como ela ocorreu.
Os princípios da justiça na repartição correntes, sustentam que a justiça de uma distribuição é determinada pelamaneira como as coisas são distribuídas, e a forma como julgamos os princípios estruturais de distribuição justa, devendo existir alguma tabela de troca compensatória entre a soma da felicidade e igualdadederivado de tal troca, para que não só as distribuições sejam iguais nas duas distribuições estruturalmente justas senão que apresentem estruturalmente o mesmo perfil. A economia de bem-estar socialé a teoria dos princípios correntes de justiça repartida, sendo que a maioria das pessoas não acha que os princípios da repartição corrente constituam toda a história sobre as parcelas a distribuir, érelevante na avaliação da justiça de uma situação considerar a distribuição que ela corporifica , mas também como ela ocorreu.
Contrastando com a justiça do resultado final, os princípios históricosde justiça sustentam que circunstâncias ou ações passadas podem criar direitos ou merecimentos diferenciais.
Todos os padrões distributivos que incluem um componente igualitário são subvertidos...
tracking img