Resumo: negritude usos e sentidos - kabenguele munanga

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1885 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Negritude: Usos e sentidos / Kabengele Munanga

Kabengele Munanga, nascido na República Democrata do Congo (antigo Zaire), naturalizado brasileiro aos 43 anos. É professor do departamento de Antropologia da USP.

“Se historicamente a negritude é, sem dúvida, uma reação racial negra a uma agressão racial branca, não poderíamos entendê-la e cercá-la sem aproximá-la ao racismo do qual éconsequência e resultado (Munanga, 2009, p.15).”

Introdução

A identidade apresentada através de características culturais, lingüísticas, entre outras, confunde-se com a identidade subjetiva, que é como o próprio grupo se define.
O processo de construção da identidade nasce a partir da tomada de consciência das diferenças entre nós e o outro. O grau dessa consciência não é igual entre todosos negros, uma vez que cada um vive em um contexto sociocultural diferenciado.
Para mostrar essa diversidade contextual, o autor considera alguns fatores tidos como componentes essenciais na construção de uma identidade ou de uma personalidade coletiva, que são: (p.12)
▪ Fator histórico: Ele une os elementos deum povo através do sentimento de continuidade histórica.
A consciência histórica, constitui uma relação de segurança para o povo. Razão pela qual,o afastamento e a destruição da consciência histórica eram uma das estratégias utilizadas pela escravidão e pela colonização, para destruir a memória coletiva.
▪ Fator lingüístico: Nesse fator a crise não foi total, pois nos terreirosreligiosos persiste uma linguagem esotérica.
Em outras categorias foram criadas outras formas de linguagens, como penteados, estilos de cabelos, estilos musicais, etc.
▪ Fator psicológico: Este nos leva a nos perguntar se o temperamento do negro é diferente do, do branco. Tal diferença se existir, deve ser explicada a partir do condicionamento histórico do negro e não com base nas diferençasbiológicas como pensariam os racistas.


“Como se percebe o conceito de identidade recobre uma realidade muito mais complexa do que se pensa, englobando fatores históricos, psicológicos, lingüísticos, culturais, político-ideológicos e raciais” (Munanga, 2009, p.14).


Historicamente a negritude é, uma reação racial negra a uma agressão racial branca. Desse modo, não poderíamosentendê-la e cercá-la sem aproximá-la ao racismo do qual é consequência e resultado.
O racista coloca-se à crença na existência de raças hierarquizadas. No pensamento de uma pessoa racista existem raças superiores e inferiores.
Ser negro é ser excluído, não importa a sua condição socioeconômica. (p.16)
A alienação do negro tem se realizado pela inferiorização do seu corpo, antes de atingir amente, o espírito, a história e a cultura.
A recuperação dessa identidade começa pela aceitação dos atributos físicos de sua negritude antes de atingir os atributos culturais, mentais, intelectuais, morais e psicológicos.

“A negritude e/ou identidade negra se referem à história comum que liga de uma maneira ou de outra todos os grupos humanos que o olhar do mundo ocidental branco, reuniu sob onome de negros.” (Munanga, 2009, p.20)

O que esses grupos têm em comum não é como parece indicar o termo negritude, a cor da pele, mas sim o fato de terem sido na história vítimas das piores tentativas de desumanização. Lembremos que nos primórdios da colonização os habitantes da África foram considerados como elo entre o homem e o macaco.

Cap.:01
Condições históricas

Quando os primeiroseuropeus chegaram na costa africana, no século XV, os Estados africanos tinham uma organização política muito evoluída. Já faziam uso da democracia, onde todas as classes sociais eram representadas. Em contrapartida, o desenvolvimento técnico (tecnologias de guerra), era menos avançado.
Também no século XV, a América foi desbravada e como suas terras precisavam se mão-de-obra barata, a...
tracking img