Resumo Marx

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1721 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
SOCIOLOGIA – RESUMO DE AULA – KARL MARX

KARL MARX (1818-1883)

“O trabalhador é tanto mais pobre quanto mais riqueza produz, quanto mais cresce sua produção em potência e em volume. O trabalhador converte-se numa mercadoria tanto mais barata quanto mais mercadorias produz. A desvalorização do mundo humano cresce na razão direta da valorização do mundo das coisas. O trabalho não apenasproduz mercadorias, produz também a si mesmo e ao operário como mercadoria e justamente na proporção em que produz mercadoria em geral” (Karl Marx).

MÉTODO DE ANÁLISE
→A Dialética
A dialética enfatiza a contradição e o conflito como a própria substância da realidade, a qual se supera num processo incessante de negação, conservação e síntese (ver Oliveira & Quintaneiro, 1995: 64).

→Materialismohistórico
Ao lado da dialética, o materialismo histórico pressupõe um modelo de análise da sociedade, trata-se da concepção que considera “as relações materiais que os homens estabelecem, o modo como produzem seus meios de vida, [e como] formam a base de todas as suas relações” (idem, p. 67).
Contudo, essas relações não se dão de qualquer modo, mas sim determinadas pelas condições estruturaisda sociedade. Em outras palavras, ao mesmo tempo em que produz a sociedade, o homem também é produto das condições materiais, concretas e objetivas de existência.

A PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO
→Natureza e necessidades: a História
Marx considera, em sua análise, que as condições materiais de existência do homem determinam diretamente o seu modo de vida, o que inclui a produção (produtos necessáriosà sua existência) e reprodução (da própria existência).
Sua visão, no entanto, não desconsidera a capacidade humana de intervenção nesse processo social, ao contrário, o homem é capaz de mudar a História, uma vez que ele é também o seu produtor.
A evolução humana só é possível em face dessa capacidade de intervenção do homem na natureza.
Num primeiro momento os homens simplesmente tentam saciaras suas necessidades básicas, o que não os difere muito dos animais.
Num segundo momento, não só interferem na natureza, uma vez objetivam dominá-la, como também, nesse processo, interagem entre si e, com isso, produzem e reproduzem-se material e socialmente.
A chave desse processo está na capacidade laborativa, o que torna o indivíduo humano, por assim dizer, seria essa capacidade, ou seja, opróprio trabalho. (ver Marx, 2002).

→Forças produtivas e relações sociais de produção
As forças produtivas envolvem o modo como os homens “obtêm os bens de que necessitam por meio da tecnologia, divisão técnica do trabalho, processo de produção, dos tipos de cooperação, da qualidade dos seus instrumentos, das matérias-primas de que dispõem, de suas habilidades e saberes” (Oliveira &Quintaneiro, 1995: 71).
Relações sociais de produção “são compostas pelas formas estabelecidas de distribuição dos meios de produção e do produto, ou as leis que regulam tal apropriação e pelo tipo de divisão social do trabalho” (idem, p. 72).
Em suma, “as forças produtivas referem-se aos instrumentos e habilidades que possibilitam o controle das condições naturais e seu desenvolvimento é cumulativo”(idem, p. 73).
Já as relações sociais de produção implicam “em diferentes formas de organização da produção e distribuição, de posse e propriedade dos meios de produção, bem como em suas garantias legais, constituindo-se, dessa forma, no substrato para a estruturação das classes sociais” (idem, p. 73).
A concepção de sociedade em Marx resume o conjunto desses conceitos acima abordados, visto queenvolve, ao mesmo tempo, a noção de história, dialética e condições materiais.
Vejamos:
Sociedade é a ação recíproca dos homens entre si e com a natureza, sem autonomia individual, visto que as ações são condicionadas historicamente pelas forças produtivas e pelas relações sociais de produção, ou seja, pela infra-estrutura.
Essas forças e relações encontram-se num constante processo de...