Resumo kant, a paz perpetua

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (365 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JÚLIO DE MESQUITA FILHO”
FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS
DISCENTE:
Bruno César Silva
DOCENTE:
Prof. Dr. Samuel Alves Soares
DISCIPLINA: Teoria dasRelações Internacionais I
CURSO:
Relações Internacionais – 2º ano (Noturno)
RESUMO CRÍTICO
KANT, Immanuel. A Paz Perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, s/d. A paz
perpétua. p. 119-171.Immanuel Kant (1724-1804) nasceu em Königsberg, uma pequena cidade da Prússia
onde passou toda sua vida. Pacifista convicto, Kant vivia de forma regrada.1 Sua obra deve
extrema importância para fundamentara razão como princípio geral das relações humanas a
fim de se garantir a paz.2
O autor almeja nesta obra demonstrar como a humanidade pode alcançar a paz de
forma a perpetuá-la, isto é, comoconviver em um planeta em que a guerra inexiste. Para
tanto, há certas normas a serem seguidas a fim de se extinguir as hostilidades entre os povos,
tais como o desaparecimento dos exércitos nacionais, asuspensão de dívidas públicas com os
demais Estados ou então, a falta de uma constituição soberana a todos os Estados. A partir
desta última, o filósofo afirma que apenas uma constituiçãorepublicana e o direito
cosmopolita asseguraria que tais méritos fossem alcançados.
Para que a paz seja atingida, o filósofo argumenta que os povos devem abrir mão de
sua liberdade para compor um Estado compoderes divididos que dirija o governo a fim de
evitar a guerra, constituindo uma federação de Estados. Contudo, não há um sistema
legislativo exterior a esses, cabendo, então, ao direitocosmopolita assegurar para que a
hostilidade entre os povos não gere conflitos rompendo com o estado de paz.
Kant acredita que a guerra está conectada à natureza humana e que somente pelo uso
da razão, oshomens poderão viver com conjunto. Isto inviabiliza o julgamento moral da ação
política, pois a natureza egoísta do homem o fará agir de forma a não seguir com a moral. A
partir da aproximação...
tracking img