Resumo filme crash no limite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3578 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Minha intenção neste artigo constituir-se-á de uma exploração das problemáticas sociais levantadas no enredo do filme Crash, que estão associadas aos ódios racial, cultural e xenófobo existentes na sociedade capitalista norte-americana. Em minha perspectiva, embora o diretor tenha se esforçado em dialogar com diferentes problemas do meio social de Los Angeles (uma sinédoque dosEUA), ele sacrificou um potencial aprofundamento de suas análises sociológicas às suas opções expressivas de configuração da narrativa cinematográfica.

De qualquer forma, Crash é um filme inteligente e corajoso que expõe todo um conjunto de preconceitos da sociedade norte-americana, que estão presentes na construção da individualidade e em ações do cotidiano, podendo se revelar a qualquer momento.Conforme a tese apresentada em Crash, apesar de as pessoas tentarem ocultá-los, com a velocidade da vida moderna, em algum momento, todos perdemos o controle e acabamos por reproduzi-los e perpetuá-los.

“Crash” entre denúncia e desengajamento

O filme Crash está imerso no contexto dos EUA pós-11 de Setembro, já então marcado pela perda de credibilidade do governo Bush quanto ao papel dos EUAna intervenção no Iraque. Daí, uma certa descrença nas instituições se combina com o aumento da sensação de insegurança e com a expressão do medo de aniquilação através de comportamentos desconfiados, agressivos e preventivos contra “negros” e “imigrantes”, assim como entre negros e imigrantes, que também definem distinções sociais entre si conforme a sua maior ou menor eficácia de aproximação emrelação ao modelo “branco” de classe média próspera e letrada. Deste modo, em vez de demonstrar o maniqueísmo característico dos discursos oficiais do governo americano, o filme expõe uma fantástica “zona cinza” e não-linear, em que as díades Bem/Mal, Branco/Negro, Insider/Outsider e Vítima/Algoz são desconstruídas ao longo da trama, demonstrando que pensar responsabilidades envolve uma profundaauto-reflexão do próprio modelo civilizacional das relações sociais.

O cinema é um veículo privilegiado de expressão, criação e reflexão sobre valores e idéias de uma sociedade. Nos EUA, após o atentado ao World Trade Center, uma das atitudes da administração de George W. Bush foi a de aumentar o controle sobre os meios de comunicação. Conseqüentemente, as mídias, enquanto componentes dainiciativa privada, adequaram-se à forma e ao sentido dos discursos e ações políticas deste momento, reforçando as doutrinas defendidas por essa administração. Passados alguns anos, tal controle foi se reduzindo, permitindo paulatinamente o retorno de produções que fazem críticas ao meio social. É importante reconhecer que a indústria do cinema continua a ser um componente vital do conjunto dacomunicação cultural e deve-se elucidar que a natureza de suas produções e suas influências ajudam a modelar o caráter e a direção da cultura norte-americana – e não somente ela.

De modo bastante interessante, o filme Crash trabalha a complexidade do ser humano, revelando seus limites, suas contradições e suas diferentes atitudes quando sujeito a um determinado momento ou situação histórica. O seuprincipal mérito é nos conduzir a pensar sobre os preconceitos[1] existentes no mundo moderno. O silêncio ao qual estamos habituados sobre esses fatos ilude a ponto de fazer supor que eles não existem ou que não possuímos responsabilidade sobre eles; assim, equivocadamente, passa-se a acreditar que eles são valores naturais aos seres humanos. Deste modo, nega-se a debatê-los e eles se tornam um assuntodeixado de lado pela maioria, quando deveriam ser combatidos. A desvalorização ou inferiorização de determinados grupos sociais estão presentes na ordem do dia, podendo aparecer quando se teme algum indivíduo por agir de modo não-convencional nas ruas, ou quando se prejulga o caráter ou idoneidade de alguém por usar tatuagens.

O indivíduo moderno é marcado por um paradoxo: ao mesmo tempo que...
tracking img