Resumo do livro: “o caso dos exploradores de cavernas”

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1315 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade unidas de Campina Grande
Campina grande
Aluno: Benildo Cassandro Neves
Curso de direito 1º semestre
Turno: noite

Resumo do livro:
“O CASO DOS EXPLORADORES DE CAVERNAS”

Sumário
1. Resumo 1
2. Personagens 1
3. Argumentos do caso2
4. Meu posicionamento 3
5. Meus argumentos 4

1 Resumo
Esse livro retrata a historia fiquiticia de cinco exploradores de cavernas amadores fazem uma escavação ficaram presos devido a um desmoronamento.
Equipes de resgate foramchamadas ocorreu outro desmoronamento e dez operários morrem. Outras tentativas foram feitas mas, fracassaram só após trinta e dois dias depois de se esgotarem quase todos os recursos eles foram resgatados.
Apenas quatro dos cinco foram resgatados, pôs eles haviam matado Whetmore e comido sua carne para poder sobreviverem até o dia do resgate.
Após a estadia no hospital para recuperação dadesnutrição e choque eles foram indiciados pelo assassinato de Roger Whetmore. Durante o julgamento, após os depoimentos o representante do júri sugeriu que fosse dada uma sentença especial pois, o caso era excepcional.
No julgamento eles foram condenados a forca pois, na lei vigente no pais para crimes mata por vontade própria comete crime de assassinato .
Os acusados recorrem da decisão. Foramjulgados então por mais quatro juízes, que expuseram seus argumentos, deram dois votos a favor da absolvição(Foster e Handy), um os condenou (Keen) e outro se recusou a participar da decisão docaso (Tatting), contando com o voto do presidente do Tribunal de Primeira Instância (Truepenny), dá-se o empate e a sentença condenatória foi confirmada. Os acusados foram mortos na forca.

1 Personagens•Roger Whetmore
•Os quatro exploradores
•Presidente do Tribunal Truepenny
•Juiz Foster
•Juiz Tatting
•Juiz Keen
•Juiz Handy
2 Argumentos do caso
Foster, J. –
•O juiz Foster tem uma visão mais voltada ao “senso comum”, julgando os acusados de forma que, tendo em vista o trauma que já sofreram na caverna, são inocentes. Impõe a idéia de que os acusados estavam fora de uma abrangênciaterritorial por estarem presos na caverna, e encontravam-se não em um “estado de sociedade civil”, mas em um “estado natural” e que a lei que deve ser-lhes aplicada não era a civil, mas a lei natural.
•Expõe a idéia de que os acusados fizeram um contrato que servia de lei dentro da caverna e, primeiramente aceito pela própria vítima, que em relação a esse contrato não cometeram crime algum, a idéia deque não era justo que dez vidas de trabalhadores, que morreram ao tentarem resgatar os cinco indivíduos presos na caverna, tenham sido em vão. Assim ele encerra o primeiro fundamento de seu voto.
•O juiz Foster começa o segundo fundamento, argumentando de forma que cita casos passados em que houve modificação da letra da lei sem a violação da mesma, ele critica a aplicação da lei da legítimadefesa e deixa a entender que o caso entraria em um caso de jurisprudência, em que os acusados só mataram Roger para sobreviverem.
Tatting, J. –
•Tatting critica o juiz Foster, seus posicionamentos, como no caso em que se encontravam inseridos em um “estado de natureza”, ele questiona o momento em que isso ocorre, e questiona se foi quando a pedra os aprisionou ou quando a ameaça de inaniçãoatingiu um grau elevado.
•Ele expõe que se quando os acusados se lançaram sobre Whetmore, para tirar-lhe a vida, ele escondesse em sua roupa um revólver e matasse os acusados, não poderia usar-se da excludente da legítima defesa porque ele estaria quebrando o contrato contraído na caverna, pois eles estariam agindo legalmente, como que um condenado não pode abater seu verdugo enquanto ele vai por a...
tracking img