Resumo do Livro Historia da Riqueza do Homem de Leo Huberman -

Páginas: 22 (5500 palavras) Publicado: 26 de maio de 2014


DO Capítulo 12 ao 22

CAP. 12 – Deixem-nos em paz! –
1776: Independência dos EUA e publicação do livro Riqueza das Nações. - Muitos comerciantes eram contra as políticas mercantilistas. “Os comerciantes queriam uma parte dos enormes lucros das companhias monopolizadoras privilegiadas. Quando tentaram participar delas, foram excluídos como intrusos” p. 132. - Quem tinha dinheiro querialiberdade para aproveitar as oportunidades. - A liberdade de negociar traria vantagens mútuas. “Adam Smith se ocupava mais do estudo das causas que influenciam a produção e distribuição da riqueza” p. 134. Parte de seu livro foi dedicado ao desmascaramento da doutrina mercantilista. “A maioria dos mercantilistas tinha interesses a defender, mas os ocultava dizendo que o país se tornaria mais ricodefendendo precisamente esses interesses” p. 134. - As medidas mercantilistas sempre tiveram críticos. “Se os preços caem num país, devido ao decréscimo do dinheiro em circulação, outros países lhe comprarão mais mercadorias, porque serão mais baratas. O país exportará então mais do que importa, e a diferença será paga em dinheiro. Esse aumento do ouro no país elevará, ainda uma vez, os preços” p.136. - Os fisiocratas franceses defendiam o livre comércio. “Uma tradução livre dessa frase famosa (laissez-faire!) seria deixem-nos em paz!” p. 138. “Os fisiocratas chegaram à sua fé no comércio livre por um caminho indireto. Acreditavam, acima de tudo, na inviolabilidade da propriedade privada, particularmente na propriedade privada da terra. Por isso, acreditavam na liberdade – o direito doindivíduo fazer de sua propriedade o que melhor lhe agradasse, desde que não prejudicasse a outros. Atrás de sua argumentação a favor do comércio livre está a convicção de que o agricultor devia ter permissão para produzir o que quisesse para vender onde desejasse” p. 138. “Os fisiocratas abordavam todos os problemas sob o ângulo de seus efeitos na agricultura. Argumentavam ser a terra a única fontede riqueza e o trabalho na terra o único trabalho produtivo... Diziam os fisiocratas que somente a AGRICULTURA fornece as matérias-primas essenciais à indústria e comércio. Embora concordasse que os artesãos podiam ter um papel útil na transformação da matéria-prima em produto acabado, julgavam que ele não contribuía para aumentar a riqueza. Depois de trabalhada, a matéria-prima valia mais, mas oseu aumento de valor não era igual ao total gasto para pagar ao artesão seu trabalho” p. 136. “Embora os economistas de hoje atribuem-lhe o mérito de mostrar que a riqueza de um país não deve ser estimada como uma soma fixa de mercadorias acumuladas, mas sim pela sua renda, não como um estoque, mas como um fluxo” p. 139. - Os fisiocratas afirmaram que a riqueza da nação não estava na quantidade dedinheiro que ela tinha, mas pela soma dos bens consumíveis anualmente reproduzidos pelo trabalho da sociedade. Afirmaram que a liberdade era o único caminho para o eficiente aumento da produção anual. - ADAN SMITH: “Se a maior produtividade é proporcionada pela divisão do trabalho, e a divisão do trabalho é limitada pelo tamanho do mercado, então, quanto maior este, tanto maior o aumento daprodutividade – isto é, tanto maior a riqueza da nação” p. 142. - RESUMINDO: a) o aumento da produtividade ocorre com a divisão do trabalho; b) a divisão do trabalho aumenta ou diminui segundo o tamanho do mercado; c) o mercado se amplia ao máximo possível pelo comércio livre. Portanto, o comércio livre proporciona a maior produtividade. - O comércio livre entre os países permite-os especializar-se nasmercadorias que produzir a menor custo. Isso aumentará a riqueza total do mundo. 

CAP. 13 – “A velha ordem mudou...” (p. 144). –
O governo francês do século XVIII taxava só os pobres. Devido a crise, o governo passou a pensar em taxar também os privilegiados. Turgor, ministro das finanças, em 1776, tentou por em prática algumas reformas. - A sociedade estava dividida em Estados: Clero –...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Resenha do livro: a história da riqueza do homem. leo huberman
  • RESUMO DO CAPITULO XIV AO XVI DO LIVRO HISTÓRIA DA RIQUEZA DO HOMEM, DE LEO HUBERMAN
  • Resumo- a história da riqueza do homem
  • Resumo História da Riqueza do Homem Leo Huberman
  • A história da riqueza do homem. leo huberman
  • Resumo dos capítulos i e ii: leo huberman – “história da riqueza do homem”
  • resumo leo huberman a história da riqueza do homem capítulo XIV ao XVIII
  • Fichamento

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!