Resumo do livro camera na mao o guarani no coração

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (558 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho de Português Livro: O Guarani
PARTE 1
Peri chega com uma onça amarrada e D. Lauriana leva um susto.
L -Peri... como você tem a ousadia de trazer uma onça viva em minha residência?Guardas... matem a onça!
E manda seus guardas matarem a onça, porém ela já estava morta. Tinha se estrangulado com o laço que a prendia pelo pescoço.
D. Lauriana aproveita a situação para reclamar a seumarido das atitudes do “bugre endemoninhado”.
L -Antonio, aquele bugre sem cultura que está em companhia de nossa filha, é um perigo a vida dela e de Isabel!
A-Lauriana, por que você implica tantocom Peri?
L- Hoje cedo o bugre trouxe uma onça morta para dentro de nossa casa.
A- Mas a onça não estava morta Lauriana?
L- Estava, mas pensei que estava viva e isso me assustou.
Voltando do banho,Isabel conta que viu uma flecha quase acertando sua prima e ouviu tiros vindos do meio das arvores.
L- Além de que Isabel viu uma flecha cair perto de Cecília e ouviu tiros vindo do meio dasárvores.
Na hora D. Lauriana conclui que isto foi um ato de Peri. D. Antonio que gosta de Peri, promete a contragosto que vai expulsa-lo da companhia de Cecília e Isabel.
A- Está bem, eu vou conversar comPeri e pedir para que ele deixe a companhia de Isabel e Cecília.
FIM/PARTE 1

PARTE 2
Cecília e a prima Isabel conversam no jardim da casa.

C - Isabel, estou aflita pois não vejo Peri o diatodo.
I - Trata-se de um selvagem com a pele escura e o sangue vermelho. Tua mãe não diz que um índio é um animal como um cavalo ou um cão?
Diz Isabel com uma certa ironia.
C - Isabel!
Isabel secompara com Cecília, devido a diferença de seu tom de pele.
I -Sei que tu não pensas assim, Cecília; e que o teu bom coração não olha a cor do rosto para conhecer a alma. Mas os outros?... Cuidas quenão percebo o desdém com que me tratam?
C -Já te disse por vezes que é uma desconfiança tua; todos te querem, e te respeitam como devem.
I -Vai-te bem o consolar-me; mas tu mesma tens visto se eu...
tracking img