Resumo do 1º e 2º capítulo do livro o povo brasileiro ( darcy ribeiro)

A obra O Povo Brasileiro, traz à lume um importante e histórico estudo, no qual se percebe, claramente o afinco do Autor Darci Ribeiro, como aduz o subtítulo do livro,em compreender a formação e o sentimento do Brasil.
Ate o descobrimento do Brasil, as terras da Costa Atlântica eram habitadas por inúmeros povos indígenas. Povos estes que não tinham as noções atuais dos conceitos de povo,território ou nação, que se tem atualmente, mas que viviam em harmonia entre si até a chegada dos Europeus.
Os Europeus, aqui chegando, dominaram a população nativa, impondo aos índios seus costumes, suas crenças, transformado-os em seus escravos, como também trouxeram consigo doenças para as quais os índios não tinham conhecimento para combatê-las e nem resistência física para suportá-las.
Achegada dos europeus desencadeou uma série de transformações de ordem econômica, ecológica e social marcadas pela disputa de territórios, “pela escravização do índio e pela mercantilização das relações de produção, que articulou os novos mundos ao velho mundo europeu como provedores de gêneros exóticos, cativos, e outros”.
Era, pois o início de uma nova etnia, haja visto os tantos interessesdespertados nas novas, ricas e férteis terras recém descobertas. Para cá vieram os portugueses,espanhóis, franceses, holandeses e africanos. Os primeiros compondo a classe dos dominantes,em especial portugueses e espanhóis, afinal a coroa portuguesa ao lado da igreja católica controlavam, desbravavam e saqueavam as terras brasileiras com mãos de ferro, á base da exploração escravocrata de índios enegros, os quais compunham à classe dos literalmente dominados.
Depois a essa gente foram se somando também os árabes, os japoneses e tantos outros que foram migrando para cá seja como força escrava ou movidos pela cobiça. O fato é que embora cada novo grupo migrante fosse se integrando aos costumes, e as regras sociais que naturalmente iam sendo impostas em razão da própria necessidade social, essesmigrantes, sobretudo os negros, foram permeando a convivência social, com seus costumes e tradições, fomentando cada vez mais a biodiversidade cultural e, sobretudo a mistura de raças.
Obviamente, que a história, sempre é contada pela versão dos vencedores, mas não é difícil imaginar quão doloroso foi para um povo ingenuo, que vivia da caça e da pesca serem arrebatados para o serviço escravo,ou num segundo momento corrompidos pela luxuria barata de metais e espelhos, para os quais pagaram com a própria vida.
Percebe-se desde muito cedo como a ingenuidade indígena foi corrompida pelos novos invasores, que os agradavam com suas quinquilharias até o momento em que estas se tornavam indispensáveis, subjugando os índios à sua cobiça e acabando com o “recém-descoberto novo paraíso.
E,nessa fase inicial percebe-se nitidamente o domínio indígena pelo fator econômico e, muito mais grave, o domínio religioso, quando os índios procuravam respostas para seus infortúnios, e em nome de Deus os jesuítas os manipulavam a bel prazer.
Como também se pode perceber, como difícil é manter o controle de um território, quando não se tem uma estratégia política ou quando o povo não luta junto porum mesmo ideal.
Que mesmo em situações tão adversas, de onde menos se espera se pode ter grandes lições como no caso de um velho índio tupinambá que diz que portugueses e franceses eram loucos de de atravessar o mar com tantos incômodos, trabalhando para amontoar riquezas para deixar para os filhos ou que lhes suceder, já eles índios, “também temos pais, mães e filhos a quem amamos: mas estamoscertos de que depois da nossa morte a terra que nos nutriu, também os nutrirá, por isso descansamos sem os maiores cuidados ( lery 1960: 151-61).
Que ao longo do processo de formação do povo brasileiro sempre houve essa extratificação social entre dominados e dominantes. “ Que com o desaparecimento das povoações indígenas, foram gradativamente se formando três novos tipos de povoação: Um...
tracking img