Resumo critico desafios gerenciais para o seculo xxi

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1613 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
UNIBAHIA
UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO
FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA
CURSO: ADMINISTRAÇÃO GERAL









RESUMO CRÍTICO
Desafios Gerenciais para o Século XXI – Capítulo VI Gerenciar a Si Mesmo










Lauro de Freitas
2012






RESUMO CRÍTICO
Desafios Gerenciais para o Século XXI – Capítulo VI Gerenciar a Si MesmoResumo apresentado a UNIBAHIA – Unidade Baiana de Ensino Pesquisa e Extensão como requisito de avaliação parcial da disciplina de Tópicos Emergentes do curso de Administração Geral, nas Faculdades Integradas Ipitanga.
Prof.º Orientador: Antero Souza













Lauro de Freitas
2012
SUMÁRIO


SOBRE O AUTOR 3

CAPITULO VI– GERENCIAR A SI MESMO 3

PERCEPÇÕES GERAIS SOBRE O CAPÍTULO 5

REFERÊNCIA 6
























SOBRE O AUTOR

Peter F. Drucker nasceu em Viena. Foi educado na Áustria e na Inglaterra. De 1929 em diante, foi correspondente jornalístico no exterior e economista de um banco internacional em Londres. Desde 1937 esta nos Estados Unidos, inicialmente como redator paraum grupo de jornais britânicos e mais tarde como consultor gerencial para várias das maiores empresas do país e do exterior. Drucker também tem tido uma carreira brilhante como professor, primeiramente como professor de Política e Filosofia no Bernnington College e depois, por mais vinte anos, como professor de Administração na Graduate Business School of New York University. Desde 1971 lecionaCiências Sociais na Claremont Graduate School, na Califórnia.

CAPITULO VI – GERENCIAR A SI MESMO

Mais e mais pessoas na força de trabalho e, mais que todos, os trabalhadores do conhecimento precisarão gerenciar a si mesmos. Eles terão que se colocar onde possam fazer a maior contribuição possível, aprender a se desenvolver e a permanecer jovens e mentalmente vivos durante uma vidaprofissional de 50 anos. Terão de aprender também como e quando mudar o que fazem, como e quando. Os grandes realizadores, como Napoleão, Leonardo da Vinci e Mozart sempre gerenciaram a si mesmos, mas eles eram as mais raras exceções, agora até mesmo pessoas modestamente dotadas terão de aprender a gerenciar a si mesmas.
Em sua maioria, as pessoas pensam que sabem em que são boas. Normalmenteelas estão erradas, é mais freqüente elas saberem em que não são boas, e mesmo assim erram mais do que acertam. Para que o individuo possa conhecer suas forças existe uma só maneira, é o que determina o autor: a análise de feedback, sempre que alguém toma uma decisão-chave e executa uma ação-chave, anota o que espera que vá acontecer nove ou doze meses depois compara resultados com expectativas.Várias conclusões brotam desta analise: concentre-se em suas forças e coloque onde elas possam produzir desempenho e resultados; trabalhe para melhorar suas forças; a análise identifica as áreas em que a arrogância intelectual causa ignorância incapacitadora, pessoas com conhecimento de determinadas áreas desprezam o conhecimento em outras, razão importante para o mau desempenho; corrigir maushábitos, coisas que se faz ou deixa de fazer e inibem a eficácia do desempenho; uma pessoa deixa de obter resultados porque carece de boas maneiras. A conclusão final da análise de feedback é o que não fazer, é desperdiçar o mínimo de esforço possível para melhoras as áreas de baixa competência, a concentração deve ser nas áreas de alta competência e aptidão. A energia, os recursos e o temo devem serdirigidos para transformar uma pessoa competente em um astro de desempenho.
Um número surpreendente de pessoas não sabe que pessoas diferentes trabalham e se desempenham de forma diferente, a maneira pela qual uma pessoa se desempenha é individual, é sua personalidade.
A primeira coisa, a saber, a respeito de como uma pessoa se desempenha é se ela é leitora ou ouvinte. Poucas sabem que a...
tracking img