Responsabilidade moral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 44 (10942 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Impossibilidade da responsabilidade moral
http://www.revistameioemidia.com.br/revistamm.qps/

O filósofo Galen Strawson argumenta contra a possibilidade da responsabilidade moral da seguinte maneira:
Nenhum indivíduo pode ser causa de si mesmo.
Para ser verdadeiramente responsável pelas suas próprias acções, o indivíduo teria que ser causa de si mesmo ao menos em certos aspectos mentaiscruciais.
Logo nenhum indivíduo pode ser moralmente responsável.
O raciocínio de G. Strawson vai na seguinte direcção. Ao menos algumas acções de um indivíduo moralmente responsável devem ser livres, isto é, devem ser acções que o individuo pode escolher se realiza ou não. Tais acções livres devem ser racionais, isto é, realizadas por certas razões, mesmo que não seja por boas razões. Ora, quandoalguém age segundo razões, o faz por causa das próprias disposições mentais. Assim, se o indivíduo pode de fato optar por realizar uma acção, então ele pode optar por estar em um estado mental (fruto de uma disposição mental) ou não. Mas para optar por estar em certo estado mental, o indivíduo deve ter escolhido estar em tal estado mental por alguma razão distinta da primeira razão. Todavia, paraisso essa segunda razão deve ser fruto de escolha livre, por uma terceira razão, e assim vai, ao infinito. Em resumo, o indivíduo precisaria realizar uma série infinita de escolhas livres para estar livremente em certo estado mental. Se realizasse tal regressão ao infinito, o indivíduo seria causa sui, causa de si mesmo. Mas isso é impossível. Logo, a responsabilidade moral é impossível.Argumento da falta de escolha
Digamos que o indivíduo realiza uma acção (A) por alguma razão (R). A partir desses elementos podemos formular uma argumento que ilustra a falta de liberdade de escolha do indivíduo na realização da acção:
A razão (R) para fazer a acção (A) se apresenta ao indivíduo, e ele não tem escolha quanto a tal apresentação.
Se a razão (R) para fazer (A) se apresentou ao indivíduo,e ele não tem escolha quanto à apresentação de (R), então ele faz a acção (A).
Logo, (A) ocorre, e o indivíduo não tem escolha quanto à ocorrência de (A).
Alguns libertistas rejeitam a premissa (2), alegando que o indivíduo tem escolha para realizar ou não (A), quando (R) se apresenta. Mas não explicam como isso ocorre. Suas explicações são obscuras, pois apelam ao mistério do livre-arbítrio, epor isso pouco cabíveis em filosofia.
Explicações libertistas mais detalhadas dizem que, ante (R), o indivíduo pode ou não realizar (A) porque está em seu poder tomar ou não (R) em consideração. Tendo tal poder, o indivíduo não é causalmente determinado a realizar (A). O problema de tal explicação é que ela transforma a realização de uma acção a partir de uma razão uma questão de sorte, e, sendoassim, não há como falarmos em responsabilidade moral, pois a sorte não é um fundamento apropriado para a mesma. O indivíduo precisa ter um controle sobre suas acções mais adequado, caso queiramos considerá-lo moralmente responsável pelos seus actos.

(Retirado da Wikipédia)
PUBLICADA POR STORITA EM 02:51 

A RESPONSABILIDADE MORAL DO LÍDER
Marcadores: MINISTÉRIO E LIDERANÇA CRISTÃ

Deuscriou o homem à sua imagem e semelhança (Gn 1.26-27; Ef 4.24). Como bem afirmou Hodge (2001, p. 555), conforme os teólogos reformados e a maioria dos teólogos de outras divisões da Igreja, a semelhança do homem com Deus incluía, dentre outros pontos, sua natureza intelectual e moral. 

Como ser moral entende-se que o homem é dotado de uma natureza com poderes que o capacita a agir de maneiracerta ou errada. Esses poderes são o intelecto ou razão, o sentimento e a vontade. Em conexão com estas faculdades humanas está a atividade da consciência, que envolve todos os poderes, e sem a qual não pode haver nenhuma ação moral (STRONG, 2003, p. 64-65; THIESSEN, 1988, p. 158). O homem, desta forma é considerado um sujeito moral, na medida em que preenche as condições abaixo (CHAUÍ, 1997, p....
tracking img