Resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (631 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Crescimento econômico da França foi nulo no 2º trimestre de 2012
Trata-se do 3º trimestre consecutivo de crescimento nulo, informa o INSEE.
Objetivo do governo é alcançar 0,3% de crescimento do PIBem 2012.
O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da França foi nulo (0%) no segundo trimestre de 2012 em relação ao precedente, segundo dados publicados nesta sexta-feira (28) pelo InstitutoNacional de Estatísticas (INSEE).
Trata-se do terceiro trimestre consecutivo de crescimento nulo, destacou o INSEE, que lembrou que em 2011 o aumento do PIB francês foi de 1,7%.
saiba mais
• Salãode Paris abre portas pedindo para francês comprar carro nacional
• PIB da zona do euro cai 0,2% no segundo trimestre, confirma revisão
O objetivo do governo francês, que nesta sexta apresentará aoConselho de Ministros seu projeto de orçamento para 2013, é alcançar 0,3% de crescimento do PIB no conjunto de 2012.
Já a dívida pública do país aumentou 43,2 bilhões de euros e alcançou assim 91% doPIB durante o segundo trimestre de 2012.
O total da dívida bruta do país ficou em 1,83 trilhões de euros. O aumento do segundo trimestre significa uma alta de 1,7% em relação ao trimestre anterior.Desemprego
O ministro francês do Trabalho, Michel Sapin, reconheceu nesta quarta-feira (26) que no final de agosto foi superada a barreira de três milhões de desempregados no país, e atribuiu essenúmero à política do governo anterior.
Em julho, o último número oficial divulgado pelo Ministério do Trabalho apontava a existência de 2,987 milhões de desempregados, após quinze meses consecutivos deaumento da taxa.
O índice de desemprego supera 10% da população ativa se for levado em conta os dados procedentes dos territórios franceses de ultramar.
Na França metropolitana, no segundo trimestredo ano, a taxa de desemprego era de 9,7%, mas o ministério não descarta que chegue a 10% em 2012, uma percentagem que não era registrava desde 1999.
Para ler mais notícias do G1 Economia, clique...
tracking img