Resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1474 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal do Pará
Instituto de Ciências Sociais Aplicadas
Faculdade de Administração

Designação. A arma secreta, porém incrivelmente poderosa, da mídia em conflitos internacionais. (Resenha)

Docente: Prof. Msc. Eunice Braga
Disciplina: Português Instrumental
Resenhista: Fagner Santos da Silva

Belém
2011
RAJAGOPALAN, Kanavillil. Designação: A arma secreta, porémincrivelmente poderosa, da mídia em conflitos internacionais. In:_________(Org.). Por uma lingüística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola Editorial. 2003. Pag. 81-87. [artigo]

Resenhado por: Fagner Santos– 10002000401
(Universidade Federal do Pará)

Há tempos verificamos que os meios de comunicação carregam consigo uma ferramenta que por vezes consegue moldar edefinir o comportamento humano, segundo Caldas (2002, p.137) citada por Adolpho Queiroz (2006, p.38 e 39) ”A influencia da mídia na formação da opinião publica têm sido objeto de vários estudiosos que atestam o poder daqueles que detêm a informação e particularmente dos que controlam os veículos de comunicação de massas.” Por ser um assunto muito amplo, as linhas de pesquisas são as mais diversas,entre elas uma em especial é abordada no interessante artigo do professor da UNICAMP, Kanavillil Rajagopalan, Designação: A arma secreta, porém incrivelmente poderosa, da mídia em conflitos internacionais, onde irá discorrer a respeito da influencia da mídia utilizando determinadas denominações como forma de manipulação da opinião pública.
No inicio do artigo o estudioso apresenta alguns fatoshistóricos, Guerra do Golfo e a Guerra do Afeganistão, que serão utilizados para confirmar e sustentar os objetivos dessa pesquisa, a designação formada pela mídia até mesmo em benefício de seus interesses comuns, no intuito de influenciar a visão dos espectadores a respeito de quem ao final desses espetáculos sangrentos, será o lado vencedor ou perdedor, ou até mesmo quem será o lado correto e bom e olado errado e ruim.
O autor a seguir na definição de que essas guerras por vezes são consideradas nada mais do que um espetáculo a ser comercializado e apreciado pelo público, inicia a apresentar fatos importantes a respeito da guerra do Iraque, as censuras que foram utilizadas, os intervalos comerciais durante a guerra perfeitamente e milimetricamente controlados, informando ainda que os aliadosforam quem as controlaram e as manipularam.

Diferentemente do ocorrido no Iraque, a Guerra do Afeganistão veio mudar esse controle de fluxo e transmissão de informações. Antes apresentado pelas principais emissoras que dominam o mundo, agora estivera sob a posse da rede árabe Al-Jazira, apresentando do lado dos derrotados.
No próximo parágrafo Rajagopalan apresenta seus objetivos na construçãode seu artigo, que se centra em “refletir sobre como a mídia imprime certas interpretações pelo simples ato de designação de determinados acontecimentos...” (RAJAGOPALAN, 2003)
No tópico Nomes: Afinal, o que há de tão curioso nessas palavras? O autor apresenta outros autores como Russell(1911) para sustentar a idéia de que os nomes não são somente identificadores, mas carregam consigo uma gamade significações e que bem mais interessante do que nomes próprios, são os “nomes logicamente próprios”, aqueles que trazem profundas significações, não somente pelo fato de ser um nome, mas por uma questão de contexto, de significações e representações. Um exemplo clássico do que fora apresentado é o fato de registro de nascimento, quando nascemos, nossos pais escolhem nosso nome não por ummotivo qualquer, mas sim pensando em uma significação, em algum pensamento lógico e que não carregue consigo determinadas interpretações que nos venha prejudicar durante nossa vida. Este fato, bastante corriqueiro, pode ser bem mais explicitado quando a escolha de nosso nome esteja relacionada a uma personagem histórica não muito bem quista, devido ao modo de vida que a mesma teve, como o nome...
tracking img