Resenha o manifesto comunista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1041 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Nome: O Manifesto Comunista
Autores: Karl Marx e Friederich Engels.
O Manifesto Comunista representa até os dias de hoje uma forte crítica ao modo de produção capitalista e a sua conseqüente desigualdade social. O texto declara o intuito do pensamento comunista, a histórica exploração dos trabalhadores, os enlaces do desenvolvimento da sociedade humana no combate desse sistema, e atesta ocomunismo como fato, citando seus objetivos e debatendo suas críticas.
Sua introdução reconhece a força do Comunismo e confirma sua existência como pensamento político. O pavor que causa aos conservadores é declarado como ponto forte de sua presença e ideal. Daí a necessidade de transpor suas reais intenções, pensamentos, críticas e plano de ação.
Parte I – Burgueses e Proletários (p.19 a p.29 )Apresenta de forma histórica e contextual o surgimento de duas classes sociais antagônicas. Narra o desenvolvimento da Burguesia e o acúmulo do capital primitivo desde o início das colonizações como fator importante para compreensão do presente. Contextualiza a globalização que essa classe implementava chegando a interligar os vários continentes. O desenvolvimento da comunicação, do comércio e dasnavegações tornava o mundo e a sociedade cada vez mais exploradora, interesseira e visionária de apenas uma coisa: Lucro.
Delineando o desenvolvimento industrial com o desenvolvimento do sistema de produção e de troca, bem como o desenvolvimento político, mostra como a burguesia distorceu os valores da humanidade, antes respeitados e até mesmo sagrados: “Os vários laços que prendiam o homemfeudal a seus superiores naturais foram impiedosamente despedaçados, para subsistir apenas o laço do frio interesse,... A burguesia fez da probidade pessoal um simples valor de troca e, em nome das diferentes liberdades conquistadas com tanto esforço, estabeleceu a implacável liberdade do comércio. Ou melhor, substituiu a exploração, camuflada de ilusões religiosas e políticas, pela exploraçãoaberta, cínica, direta e brutal. ”(p. 21) A burguesia, tornava, assim, toda a sociedade em trabalhadores assalariados e laçava uma relação de dependência e subordinação.
“Entre todas as classes, só o proletariado pode ser considerado classe realmente revolucionária frente à burguesia. As outras vão se dissolvendo e desaparecendo com a evolução do processo industrial, enquanto o proletariado surgecomo seu mais legítimo produto.” (p. 27) As precárias condições de trabalho e de vida a qual o proletariado foi submetido, tornando-se cada vez mais humilhado e sem perspectiva de mudança faz dessa classe a única capaz de realmente revolucionar-se. O operário moderno não cresce com o progresso da industrial, pelo contrario, encontra-se cada vez mais rebaixado em sua condição. O seu movimento seriaum movimento universal, consciente, em defesa de uma maioria e colocaria em extinção todas as classes sociais, trazendo as relações de igualdade à tona.
Nesse contexto, os autores ainda citam a classe burguesa como aquela que cava sua própria cova, pois o sistema que defendem e submetem o mundo é um sistema fadado ao colapso. As forças produtivas modernas estão constantemente em processo derebelião. “A burguesia não só fabricou armas que representam sua morte, como produziu, também, os homens que manejaram essas armas – o proletário moderno – os proletários.” (p. 24) Inicialmente uma luta isolada, depois crescente em seu volume e adesão, essa luta contra a classe burguesa se torna cada vez maior, assumida e aclamada.
Parte II – Proletários e Comunistas (p. 29 a p.36)
“Os dois únicospontos que caracterizam o comunismo e o distinguem dos outros partidos operários são os seguintes: 1 – Destacam e fazem prevalecer os interesses comuns do proletariado, nas diversas lutas nacionais, independente de sua nacionalidade. 2 – Representam, sempre, e em toda parte, os interesses do movimento em geral, nas diversas fases da luta da classe operária contra a burguesia.” (p.29) O papel...
tracking img