Resenha sobre o livro: cultura, um conceito antropologico

O livro Cultura: um conceito antropológico, do autor Roque de Barros Laraia, doutor em Sociologia e atualmente professor da Universidade de Brasília, pretende introduzir o leitor ao conceito decultura. Por sua familiaridade com culturas diversas que observou diretamente em pesquisas de campo entre os índios Suruí, Akuáwa, Kamayurá e Kaapor ou por sua experiência com as variações culturais denossa própria sociedade expressa pelos representantes regionais, o autor tem bastante experiência para falar sobre o tema.
A obra é destinada a leitores iniciantes ao tema, portanto possui umtexto bem didático, claro e simples. O autor utiliza vários exemplos referentes à nossa sociedade, às sociedades tribais que compartilham conosco um mesmo território e exemplos emprestados de autores quetrabalharam em outras partes do mundo. O livro foi dividido em duas partes: a primeira se refere ao desenvolvimento do conceito de cultura a partir das manifestações iluministas até os autoresmodernos e a segunda procura demonstrar como a cultura influencia o comportamento social e diversifica a humanidade.
No primeiro capítulo o autor fala sobre um grande dilema: a conciliação da unidadebiológica e a grande diversidade cultural da espécie humana, ou seja, o determinismo biológico. No primeiro exemplo ele cita Heródoto, o grande historiador grego, que ao descrever o sistema social doslícios percebe que, diferentemente da sua sociedade, os Lícios tomam o nome da mãe, e não o do pai. Ao considerar os costumes dos lícios diferente de, como diz o autor, todas as outras nações domundo, Heródoto, em uma atitude etnocêntrica, estava tomando como referência a sua sociedade patrilineal, ou seja, onde o parentesco é considerado apenas pelo lado paterno.
O padre José de Anchieta,ao contrário de Heródoto, se surpreendeu com os costumes patrilineares dos índios Tupinambá e escreveu: “O terem respeito às filhas dos irmãos é porque lhes chamam filhas e nessa conta as têm, e...
tracking img