Resenha sobre o historio da desigualdade brasieleira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1629 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
HISTÓRICO DA DESIGUALDADE BRASILEIRA

APRESENTAR UMA BREVE HISTÓRIA DO TERRITÓRIO ESCOLHIDO E UMA VISÃO GERAL DO TERRITÓRIO NO CENÁRIO DO MUNDO GLOBALIZADO
Por volta de 1500 houve o achamento do Brasil, e desde então políticas de concentração de riquezas foram implementadas. A divisão do Brasil em Capitanias Hereditárias foi a primeira forma de concentração de terras no País.
A partir dodesenvolvimento da plantação da cana-de-açúcar no Brasil foi necessária a importação de escravos africanos para trabalharem nas lavouras já que o país não possuía mão de obra suficiente para tal. Com o passar dos anos a abolição se fez necessária e os escravos foram libertos, no entanto, o Governo não ofereceu qualquer ajuda para os recém libertos os deixou abandonados à própria sorte, os exescravos foram ocupando as margens das cidades a fim de construir suas próprias casas, o que deu origem às nossas favelas.
A criação das favelas foi a consolidação da maior desigualdade que já houve no País, a falta de saneamento e infraestrutura são as principais características desses amontoados de pobreza.
Há também no Brasil grande desigualdade entre os meios urbanos e rurais além das gigantescasdisparidades regionais. A região sudeste foi a que mais recebeu investimentos industriais ao longo da história do País por isso, é a região mais desenvolvida. Já a região nordeste perdeu sua importância com o declínio da era do açúcar e desde então tem sido a área com maior concentração de pobreza.
Na última década de 70, o economista Edmar Bacha citou o Brasil como um país com característicasde uma Belíndia, em referência à sua enorme desigualdade social, que se traduz por uma minoria com padrão de vida dos ricos da Bélgica e uma maioria com o padrão de vida dos pobres da Índia. No entanto, um relatório, divulgado em 2008 e baseado no IDH, aponta o país com características de Islíndia, com uma minoria com padrão de vida ainda melhor que o da Bélgica e superior a dos 20% mais ricos daIslândia - o país com maior IDH no mundo. Esse relatório menciona também que, no Brasil, os 20% mais ricos vivem em condições melhores que a fatia mais rica de países como Suécia, Alemanha, Canadá e França.
A base de dados do PNUD mostra que o Brasil é o décimo no ranking da desigualdade. Em comparação com o resto do mundo, a divisão pessoal de renda do Brasil é mais discrepante que a dos outrospaíses de baixo desenvolvimento econômico. Até a última década de 90, alguns países como Etiópia e Uganda tinham distribuição de renda muito melhor que a brasileira.
Em 2009, uma pesquisa do IBGE, realizada em setembro de 2008, revelou que os 10% mais ricos (R$ 4.424 mensais ou mais) concentravam 43% da riqueza, ao passo que os 50% mais pobres possuem apenas 18%. Dados do Censo 2010 revelamque a renda dos mais ricos (média de R$ 16.560,92 mensais) é maior que a de 40 brasileiros mais pobres (R$ 393,43). De acordo com dados da OIT relativos a 2010, cerca de 25% da população brasileira ganha menos de US$ 75 por mês.
Em maio de 2011, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome calculou, a partir de dados do IBGE e estudos do Ipea, que existam 16,2 milhões de brasileiros(8,6% do total) vivendo na miséria extrema ou com ganho mensal de até R$ 70. Na distribuição da miséria, as regiões Nordeste (18,1%) e Norte (16,8%) lideram o levantamento, ao passo que o Sul tem menos gente extremamente pobre (2,6%).
Os principais motivos são:
Falta de políticas públicas para a inclusão social da massa populacional vinda abruptamente do processo escravista;
O processo deindustrialização de cunho concentrador;
A divisão de terras em latifúndios e voltada para uma minoria;
As baixas taxas de absorção e remuneração da mão de obra e crises econômicas acompanhadas por longos períodos inflacionários mais sentidas pelas classes menos favorecidas.
Algumas regiões não conseguem avançar em decorrência do isolamento geográfico e da ineficiência do poder público para atender...
tracking img