Resenha: rüsen, jörn. razão histórica.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 6 (1356 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 16 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha: RÜSEN, Jörn. Razão Histórica. Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: Editora UnB, 2001, pp. 11-51.

Doutor em Filosofia e História pela Universidade de Colônia, Jörn Rüsen, autor do livro “Razão Histórica – Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica” desenvolve ao longo do texto o que são os fundamentos da ciência da história e logo após propõeuma discussão sobre os fundamentos que o pensamento histórico-científico se baseia.
Os fundamentos da ciência da história baseiam-se na questão da razão na história. Para Jörn Rüsen, essa base é inevitável, pois não há pensamento sobre a história que não esteja motivado pela carência de sentido. Porém essa razão não pode ser tratada somente como uma propriedade qualquer da história. Jorn Rusendeixa essa questão bem clara na seguinte passagem: “A perspectiva não será, pois, a de uma propriedade qualquer da história que se chamaria ‘razão’, mas a de saber como se constitui o pensamento sobre a história que se apresenta como ciência.” (p. 12)
A questão da razão é própria da ciência. E como a ciência da história é um ramo que trata a história de forma racional, então a questão da razão nãopode ser ignorada quando originada da carência de orientação da práxis humana. Sendo assim, a ciência da história, como Jörn Rüsen afirma, está entre “a cruz e a caldeirinha” pois a ciência não é o melhor ramo para responder questões de carência de sentido porém não pode ser deixada de lado pois move outras questões importantes.
A teoria da história, para Rüsen, consiste na análise da pretensãode racionalidade da ciência da história. No sentindo clássico de teoria, pode-se dizer que a teoria da história é uma “teoria” da ciência da história que significa a análise de um determinado conteúdo buscando suas determinações racionais. Essa teoria da história diante de determinadas estruturações do pensamento histórico, segundo Rüsen, se põe as condições da pesquisa histórica sem que ela sejadiretamente objeto da pesquisa histórica. Dessa forma, a teoria da história e a ciência da história mantêm suas visões e suas diferentes utilizações sobre a razão.
Mesmo com divergências e pontos comuns, a relação de uma teoria da história com a ciência da história é de esclarecimento. Rüsen mostra essa questão no trecho:
[...] Não é que toda luz na ciência da história provenha da teoria dahistória, mas as coisas ficam mais claras quando o pensamento histórico reconhece sua aptidão à racionalidade também na operação de explicitar-se por seus princípios. [...] (p. 22)

A autorreflexão é um elemento crucial no dia-a-dia da ciência. O processo do pensar história tornar-se-ia frágil caso o sujeito do conhecimento não pensasse sobre si mesmo. Por esse motivo o cotidiano do historiador é basenatural da teoria da história. E essa teoria é uma elaboração dessa constante reflexão do historiador sobre si mesmo. A teoria vai além do trabalho do historiador de descrever e demonstrar que a reflexão de seu pensamento histórico emerge do trabalho prático do próprio historiador, segundo Rüsen, a teoria é necessária sempre que se tratar de fundamentar, justificar ou modificar sempre que setratar do sentido do trabalho histórico. Sendo assim, a teoria da história é a reflexão a qual o pensamento histórico se constitui como especialidade científica.
Os que se dedicam à pesquisa histórica e à historiografia têm de ser especialistas, têm que saber manusear a especificidade científica do pensamento histórico sem que pense nela, essa especificidade tem de ser automática. Por esse motivoexiste a competência científica especializada pois efetiva-se sempre em campos particulares da pesquisa e da historiografia, porém essa habilidade não é adquirida quando se pesquisa somente assuntos específicos, pelo contrário, antes é necessário um estudo sobre o conjunto, assim que se é formada uma noção do todo histórico, pode-se seguir com a especialização. Para Rüsen, a visão do conjunto é...
tracking img