Resenha myra levine

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2242 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE ANHANGUERA DO RIO GRANDE

ENFERMAGEM – 5ª SÉRIE






















VENICIUS OLEIRO – 1033943680





















RIO GRANDE/RS

2012


TEORIA DE LEVINE









1. Breve Histórico




1. Myra Estrin Levine




Nascida em 1920, fez sua formação em enfermagem na Cook Coutry School of Nursing, emChicago ( 1944), seu bacharelado na Chicago University (1949) e o mestrado foi obtido na Wayne State University, em Detroit, Michigan ( 1962).



2. Introdução

Levine, bem a frente de seu tempo começa a reunir seus escritos e pensamentos e acaba por desenvolver uma importante teoria de enfermagem, segundo ela, enfermagem é interação humana. Ela baseia-se na idéia de que aspessoas são dependentes de suas relações com os outros e que a enfermeira possui a responsabilidade de intervir na situação do paciente, após reconhecer a reação do organismo do paciente. As intervenções de enfermagem são de apoio ou terapêuticas (promovem a cura e a recuperação).




3. Teoria Holística


Para Levine o ser humano é um ser holístico em contínua interação com oambiente, em um processo de adaptação que resulta a conservação e manutenção da integridade. O núcleo da teoria de Levine são os quatro princípios de conservação.


3.1 Adaptação

É o processo da vida pelo qual, ao longo do tempo, as pessoas mantêm sua totalidade ou integridade ao reagirem aos desafios do ambiente; é a conseqüência da interação entre pessoa e ambiente (Trench, Wallace,Coberg, 1987; Levine, 1989) O engajamento bem sucedido com o ambiente depende da reserva adequada de adaptação. (Levine, 1990)
Tanto as resposta fisiológicas quanto as comportamentais são diferentes sob diferentes condições, por exemplo, as resposta ao ambiente muito ruidoso e pouco ruidoso serão variadas. É possível antecipar certos tipos de reação, mas a individualidade das respostas impede umaprevisão exata.

3.2 Conservação


“A conservação defende a totalidade dos sistemas vivos assegurando a sua capacidade de confrontar as mudanças apropriadamente e reter a sua identidade única.” (Levine, 1990, p.192). Quando se entende a conservação, é possível entender como diante de situações adversas como o enfrentamento de grandes desafios, os sistemas complexos continuamfuncionando, isso se dá porque a conservação proporciona alem da sobrevivência atual, vitalidade no momento do enfrentamento destes desafios de forma econômica. O exemplo usado por Levine para que se entenda a conservação é o termostato, que uma vez ajustado para manter certa temperatura, só é ativado quando a mesma estiver diferente da escolhida (conservação de energia).
Levine descreve 4 níveisde comportamento:
1. Resposta de lutar ou fugir (Cannon – 1963), as reações que proporcionam a prontidão fisiológica vê comportamental diante de desafios ambientais inexplicáveis;
2. Resposta inflamatória- imunológica, na qual confiamos para a restauração da totalidade física e da cura;
3. Resposta de estresse (Selye – 1956), defesa integrada que ocorre ao longo do tempo,influenciada pelas experiências do indivíduo;
4. Sistema perceptivo (Gibson – 1966), os sentidos alem de proporcionar acesso as fontes ambientais de energia, também convertem essas fontes em experiências significativas – as pessoas não apenas vêem elas olham; não apenas ouvem elas escutam.
A enfermagem tem um importante papel na conservação, que é ajudar a pessoa a manter sua totalidadeatravés do menor esforço possível.
Quatro princípios de conservação:
O primeiro princípio da conservação é “A conservação de energia do indivíduo”, Levine (1989) afirma que a energia não está escondida; “é eminentemente identificável, mensurável e controlável” (p.331). Um exemplo da verificação diária dos parâmetros de energia é a aferição dos sinais vitais pela enfermagem, por exemplo, a...
tracking img