Resenha manifesto comunista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1006 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RESANHA O MANIFESTO COMUNISTA.




O Manifesto comunista fala da grande transformação ocorrida em 1848 que deu uma nova concepção na filosofia e na história, o materialismo dialético no começo do texto os autores esclarecem que a separação de classe, sempre existiu que na Roma Antiga eram os pátrios, cavaleiros, plebeus, escravos, na Idade Média, senhores feudais, vassalos, mestres,oficiais e servos, dizendo também que durante as mudanças de anos, décadas não mudou que havia e ainda há burguesias e a proletários e como a Antiga organização Feudal da indústria, com as ampliação de maquinas abrindo assim lugar à grandes milionários e foi a burguesia moderna, sendo assim levando ao mercado mundial preparando a descoberta da América. E através disso foi crescendo mais e mais omercado e a burguesia junto deixando para trás tudo e todos que não fazia parte deles como hoje muitos tem tudo e outros não tem nada, rico fica mais rico e pobre permanece pobre, firmando assim o modelo social de pirâmide, onde o assalariado ocupa a base e compreende a grande maioria, no peço pouquíssimos empresários que controlam a sociedade, como os senhores feudais, resumindo mudou apenas otítulo de quem dá as regras e detém o poder.
Toda evolução da indústria, comércio e comunicação contribuiu sempre para o crescimento da burguesia que sempre esteve acompanhada do progresso político, até que alcançou a soberania política da modernidade, onde o governo concentra-se para administrar os interesses da classe burguesa, e o que mais nos entristece é perceber que pouco ou de nada valeua luta pelo voto, o povo escolhe, com a doce ilusão de ter seus direitos conquistados e a massa política administra para a ponta da pirâmide, ou seja, para poucos e lança das altas migalhas de vantagens para a base da pirâmide, o povo, que se contenta com tão pouco, ou seja, a exploração que antes era feita de maneira disfarçada pela religião e política, hoje se tornou, como dizem os autores,aberta, cínica, direta e brutal.
Até as profissões consideradas como missão e românticas, começaram a receber salários, quebrando todo um encanto e respeito, passando a configurar como mera relação monetária.
A burguesia, para continuar existindo, depende de criar novos meios de produção, estabelecer novos mercados, explorar sempre e em toda parte. Dessa forma, as velhas indústrias deprodutos e matérias primas de outros países. E isso não ocorre apenas com objetos, mas também como o intelectual, não raras vezes, vemos, por exemplo, modelos de educação da Europa, sendo implantados na América do Sul, como isso pode dar certo, se sabemos que em cada realidade, a educação se processa de uma forma diferente.
Como essa aproximação do mundo, onde uma bem nacional passa a sermundial a burguesia cria um mundo a sua imagem e semelhança. Podemos citar, o êxodo rural, cidades que não param de crescer e zona rural cada vez mais desabilitada, a agricultura de caráter familiar, já quase não existe, concentrando a produção agrícola, também, nas mãos de poucos, que detém os instrumentos de produção em constante avanço tecnológico.
Sendo assim, a burguesia criou um ritmofrenético de produção e de troca, que nem ela mesma é capaz de frear, com isso, as crises econômicas mundiais, destroem sem piedade, produtos e meios de produção, criando um frenesi que cada vez mais se torna violento, impiedoso e difícil de controlar.
A burguesia derrubou o feudalismo, utilizando armas que hoje se voltam contra ela. Alem de criar a armas para sua própria destruição, crioutambém os soldados para manuseá-la, os operários modernos, que não mais, aceitam apenas vender sua mão-de-obra, mas exigem reconhecimento e buscam cada vez mais, aperfeiçoar-se. Embora a concorrência pelas vagas, muitas vezes, torna esse profissional, mercadoria como qualquer outra.
Com a tecnologia as máquinas ocupam cada vez mais o lugar do trabalhador na produção, que passa a ocupar um...
tracking img