Resenha: filme diamante de sangue

"Diamante de sangue" é a expressão que qualifica a exploração de países em crise às custas de vidas humanas para se tornarem objeto de um complexo esquema decontrabando.

O filme conta a história da guerra civil (1991 - 2002) em Serra Leoa, um país do oeste africano. Os conflitos se dão entre o governo e aforça unida revolucionária (FUR), que lutam entre si pelo controle da produção de diamantes do país.

A trama não se aprofunda em questões políticas e, sim, nosmotivos econômicos que deram origem aos conflitos armados a ponto de financiar a guerra naquele país, quais sejam, a apropriação das riquezas naturaisafricanas por filhos do capitalismo, cuja premissa é o lucro, com o conseqüente monopólio do mercado de jóias.

Neste contexto “os diamantes do conflito” são umexcelente negócio dada à ignorância dos “escravos” que os extraem, que não conseguem sequer imaginar o seu alto valor ou, até mesmo, a sua utilização e, porisso, cumprem a árdua tarefa de entregá-los a troco única e exclusivamente de permanecerem vivos.

Assim , os fornecedores deixam de lado seus escrúpulos emtroca de vultuosos lucros; e toda a sujeira, crimes e mortes são “limpos” com a legalização dos diamantes, que chegam às mãos dos consumidores sem as manchas desangue, indo para as mais finas lojas dos países de primeiro mundo. 

É verdade que tamanho brilho se ofuscaria, se soubessem os consumidores a procedênciadaquelas pedras. Também é verdade que poucas pessoas a questionam. Portanto cabe ao consumidor exigir do vendedor que o “diamante não seja de sangue”.
tracking img