Resenha do texto manifesto do partido comunista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1409 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Disciplina: Sociologia da Educação Docente: Thauana Gomes



Resenha do texto Manifesto do Partido Comunista

“Um fantasma ronda a Europa: o fantasma do comunismo.”

Com essa celebre afirmação, no dia 21 de fevereiro de 1848, Karl Marx e Friedrich Engels publicaram o que viria ser um documento histórico de afirmação ideologia comunista em todas as épocas subsequentes para uma melhorcompreensão tanto do comunismo quanto do capitalismo, como seu principal antagonista.
O texto é revolucionário e em muitas partes irônico, com o intuito de denunciar o regime capitalista e incitar o proletariado descontente a lutar contra ele. A IGA dos comunistas pretendia, através do texto de Marx e Engels, na época com 30 e 28 anos de idade respectivamente, deixar claras as idéias que defendiam,bem como dissipar concepções errôneas e pejorativas a respeito do comunismo, as quais eram espalhadas aos quatro ventos pela Europa, por aqueles que dele discordavam e a ele temiam.
O documento organiza-se em introdução, três capítulos e conclusão.
Denuncia inicialmente o medo com que as classes dominantes (os burgueses conservadores da época) viam os comunistas, como aqueles que vinham paraameaçar a ordem que se impusera, de lucro e exploração, com declarações polemicas do tipo” no lugar da velha sociedade burguesa uma associação na qual o livre desenvolvimento de cada membro é a condição para o desenvolvimento de todos”. Temiam e ainda temem o comunismo, aqueles que tremem à simples menção do termo “divisão igualitária”.
No primeiro capitulo os autores procuram esclarecer de quemaneira se organizam as relações de trabalho no sistema capitalista. Na visão Marxista, toda a historia da sociedade humana é impulsionada pela luta de classes sociais, e as revoluções são sempre marcadas pela rivalidade entre elas sendo, essencialmente, uma que explora e outra que é explorada.
Assim, procuram demonstrar como o sistema capitalista torna essa rivalidade ainda mais ferrenha e acirrada,baseando o modo de produção num sistema de exploração não disfarçado, mas declaradamente assumido, visando o lucro como fim em si mesmo, como objetivo maior a ser perseguido a qualquer custo.
Neste ponto observamos como o Manifesto continua atual, sendo as palavras de Marx e Engels facilmente aplicáveis aos nossos dias. Mais de um século e meio depois, o regime capitalista só fez aumentar aindamais a diferença social entre as classes, aumentar a pobreza, diminuir as condições de vida dos que trabalham para atribuir riqueza aos que exploram. Deixa explicita a idéia de que para que os ricos existam, é preciso existirem os pobres. E que o Estado é tão somente um comitê organizado para defender os interesses de classe dominante, em qualquer sociedade.
A globalização e a explosão tecnológicaa que somos expostos são apenas outra roupagem para o que o Manifesto declarou como “as Maravilhas da burguesia” “remendo novo em odres velhos”. Ao declarar como a burguesia revolucionou a sociedade, não esta, definitivamente, tecendo um elogio ao capitalismo, mas alertando sobre como este sistema conseguiu mexer com as estruturas sociais de um modo antes nunca visto, alterou todas as relaçõesentre as pessoas, ate mesmo as familiares, fazendo com que os indivíduos, embora presos como escravos as novas necessidades criadas pela burguesia para viabilizar o comercio, tenham uma impressão de liberdade, uma sensação de crescimento, de prosperidade e igualdade de oportunidades. É o liberalismo lançado suas teias. O neoliberalismo de hoje só faz reproduzir a mesma ideologia em outro contexto,ainda mais cruel e frio de mais valia, de lucro fácil a qualquer preço, ao custo de vidas humanas, da indignidade de uma imensa maioria e favor do luxo de uma casta cada vez menor.
Perdem os homens suas relações familiares, perdem suas propriedades afundados em impostos que não lhes voltam em benefícios, perdem o direito de usufruir dos frutos de seu trabalho honesto, sem, no entanto perder a...
tracking img