Resenha descritiva sobre generos textuais

Resenha descritiva sobre Genêros Textuais Ler e compreender: os sentidos do texto, Ingedore Villaça Koch e Vanda Maria Elias. 2. Ed. , 1ª reimpressão. – São Paulo : Contexto, 2007 pag. 101-122.

Nolivro Ler e compreender: os sentidos do texto, no capitulo 5, sobre Gêneros Textuais, as autoras Ingedore Villaça Koch e Vanda Maria Elias, reforçam as idéias sobre gêneros textuais já falados noscapítulos anteriores.

As autoras enfatizam que no processo de leitura e construção de sentidos do texto, sempre levamos em conta que a escrita e a fala baseiam-se em formas padrão e são relativamenteestáveis de estruturação e que grande parte dos gêneros são de origens sociocomunicativas e por isso eles são dinâmicos e sofrem variações na sua constituição, que, em muitas ocasiões, resultam emoutros gêneros ou seja, novos gêneros.

As autoras também defendem a ideia fundamentada em Bakhtin (1992:301-302 )que os indivíduos desenvolvem uma competência metegenérica, e é está competência quepossibilita a produção e a compreensão dos gêneros textuais.

Como exemplo as autoras mostram através de dois textos, destacando o “gênero currículo”e o “gênero recado” que a competênciametagenérica por um lado orienta a produção de nossas praticas comunicativas e que essa mesma competência por outro lado orienta a nossa compreensão sobre os gêneros textuais efetivamente produzidos.Elasexemplificam ainda por meio da propaganda a competência metagenérica quanto sua composição, conteúdo, propósito, e modo de veiculação,e mostra também o exemplo de competência metagenérica na produção de umacharge que é constituída pelo gênero piada. 

As autoras destacam a ideia de BAKHTIN(1992:301-302), que as práticas sociocomunicativas são constituídos de um determinado modo, com certa função,em dadas esferas de atuação humana o que nos possibilita (re)conhecê-los e produzi-los, sempre que necessário.Segundo elas, afirmar que os gêneros são produzidos de uma determinada forma,não...
tracking img