Resenha de ruy de mattos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2537 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
IESFAVI – INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO AVANÇADA DE VITÓRIA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA

ANTENOR VIEIRA NETO
DÉBORA EVILYN FERREIRA DE ANDRADE
LUANA CRISLEY MACHADO
MARINETE CAMPELO DE ANDRADE NIERO
RAIANY RODRIGUES FERREIRA
SUSYÉLLEN RODRIGUES BARBOSA

RESENHA DESCRITIVA
DE RECURSOS A SERES HUMANOS
Ruy de Alencar Mattos

VITÓRIA
2012

ANTENOR VIEIRA NETO
DÉBORAEVILYN FERREIRA DE ANDRADE
LUANA CRISLEY MACHADO
MARINETE CAMPELO DE ANDRADE NIERO
RAIANY RODRIGUES FERREIRA
SUSYÉLLEN RODRIGUES BARBOSA

RESENHA DESCRITIVA
DE RECURSOS A SERES HUMANOS
Ruy de Alencar Mattos

Prof. : Heliane Prata
Diciplina:Desenvolvimento de
Recursos Humanos



VITÓRIA
2012

CAPÍTULO I
A Ação Humana nas Organizações

O texto mostra que o ser Humano ao longo da sua história apresentava algumas decisões opostas, como manter a individualidade, manter os grupos de interessespara empreender novos rumos, e também se soltar para o futuro.
O ser Humano tem algumas dimensões que dão sua identidade como a física, fisiológica, social. Elas ajudam muito nas organizações, para desempenhar seu papel profissional, pois auxilia no seu desenvolvimento e na sua criatividade nas organizações. A ação humana, se manifesta em três variáveis destacando-se desde a clássica passandopelas relações humanas. O homem além de produzir algo, também produz a si próprio, a politização constitui num fator de facilitador e também de dificultado no processo de desenvolvimento humano nas organizações.
A saúde no ambiente de trabalho, adquiriu muita importância, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida no trabalho como um valor final.
Foi visto que os sistemas de gestão e aorganização do trabalho e a segurança, está trazendo mudanças, e empresas já estão se multiplicando, substituindo a selvageria por relações de trabalho mais democráticas e humanas. Com esse sistema de gestão as organizações do trabalho que criticamos aqui, vêm sendo questionados em várias empresas privadas e públicas. Estas honrosas exceções nos animam a insistir na necessidade de que, as corajosasmudanças que tais empresas empreendem se multipliquem em nosso país, substituindo a selvageria do capitalismo que ainda mantém raízes de nossa época colonial e escravista (afinal os quatrocentos anos de relação de dominação deixaram muita gente habituada) por relações de trabalho mais democráticas e humanas.

CAPÍTULO II
Organização Social e RH

Guerreiro Ramos aponta uma distorção conceptual, quandoanalisa o conceito de sanidade organizacional de Bennis. O papel chave para o desenvolvimento de uma organização é necessário um processo de mudança planejada de uma cultura organizacional que evita um exame de processos sociais formado por mudanças, planejamento e comunicação.
Lapassade já esclarece a diferença essencial entre o individuo e a organização o organismo individual, que satisfaz umanecessidade mediante uma afinidade prática, sobrevive ao desaparecimento dessas atividades, destaca que para um desenvolvimento em uma organização, é a prática e não de estudos, ela constituída por poder e trabalho estabelecida entre o colaborador e a organização, com o objetivo de alcançar resultados, e existem três dimensões. A psicossocial que representa a manifestação individual e coletiva;crenças, valores atitudes, comportamento humano., a política que na verdade, é a conquista do poder entre os participantes, e seus objetivos, é a necessidade do indivíduo e o grupo que constituem a sua estrutura e poder, e o econômico são os recursos que a empresa tem, financeiro, energéticos, materiais, naturais.
A concepção de RH é um plano de negócios, com gestão empresarial moderna, exige...
tracking img