Resenha critica do filme a historia das coisas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1183 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Matéria: Principio do sistema de informação

            O filme aborda sobre a rápida redução dos recursos naturais do planeta, a autora cita números instigantes alegando que os EUA, com apenas 5% da população mundial é responsável pelo uso de 30% dos recursos existente no planeta terra, e isso pode até parecer um exagero por parte de Annie L. se fizermos um comparação com os dados do PIB –Produto Interno Bruto mundial relacionado àquela nação, que é de 27% do montante mundial.
            No entanto, o crescimento da taxa do PIB demonstra segundo especialistas, tão somente uma parcela dessa realidade, pois as economias desenvolvidas de forma informal e as atividades voluntárias são fazem parte dessa métrica. Outro ponto importante a se levar em conta é que além de ser um índicealtamente manipulável, em sua contabilidade é ocultada os passivos das crises da estrutura social e a destruição do meio ambiente.
            Ironicamente, efeitos desastrosos são pontuados com ganhos econômicos, um exemplo disso é o grande volume de negócios envolvendo a indústria relacionada com a segurança em face do assustador crescimento da criminalidade nos grandes centros urbanos(helicópteros, carros blindados, sistemas de segurança, etc.). No caso da degradação ambiental, onde as atividades de extração de recursos naturais como minério, hidroenergia e petróleo - produtos oriundos de depredação – são tidos como renda corrente ignorando os custos pela recuperação do meio ambiente e tratamento de saúde da população atingida por essas atividades.
            O PIB é uma formaultrapassada de analisar conquistas econômicas, uma vez que vislumbra tão somente o dito crescimento econômico e não o desenvolvimento econômico; o primeiro limitado e esgotável, o segundo, avanço real, mais ilimitado do que o primeiro e com base na sustentabilidade.     
            Na parte que trata da contaminação de produtos tóxicos creio que deviria haver um pouco mais de estudo a respeito. Por umarápida pesquisa na internet sobre o produto químico BRF, o pouco que encontrei foi que se trata de um produto utilizado para retardar chamas em caso de um incêndio. Um ponto que a autora não cita, e isso sim é preocupante e temos bastante referência de estudos a respeito é sobre os produtos agrícolas e veterinários utilizados no setor agropastoril.
            Em face de prazos para liquidarfinanciamentos agrícolas, uma maior produtividade por área plantada (defensivos contra pragas e fertilizantes), muitas são as substâncias que se pode encontrar em alguns vegetais, uma vez que fica difícil controlar o período de carência de tais elementos em milhares de toneladas de verduras e frutas produzidas em todo o país. Ademais temos a ganância das grandes produtores desses produtos que queremvender sempre mais, sem se preocupar com os consumidores e de olho nas altas margens de lucro, pouco se importando com os resultados em longo prazo, no caso da intoxicação cumulativa de alguns desses produtos no homem.
Segundo o Projeto de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), realizado pela Agência nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2.001, foi analisado diversos legumes,frutas e vegetais para ver o grau de contaminação.
Entre as amostragens, os alimentos que foram contaminados com uma frequência maior foram: pimentão (80,0%), uva (56,40%), pepino (54,80%), morango (50,80%), couve (44,20%), abacaxi (44,10%), mamão (38,80%), alface (38,40%), tomate (32,60%) e beterraba (32,00%).
            A questão do sistema de produção e sua logística, tratado nodocumentário nada mais é do que a lógica de um capitalismo global moldado no consumismo sem limites. Particularmente nos EUA, um sistema político totalmente dependente e submisso as grandes corporações empresariais, e isso é fato incontestável.
            Ao suprir os custos para o desenvolvimento de produtos bem como o barateamento dos mesmos para que mais pessoas possam ter acesso aos bens de...
tracking img