Rerres

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2107 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 INTRODUÇÃO
O seguinte trabalho consiste numa pesquisa sobre Transportes Coletivos. Os tipos de transportes estudados são o VLT, Veículo Leve Sobre Trilhos, e o BRT, do inglês, Bus Rapid Transit. Onde se é possível determinar suas características principais podendo ser feito um apanhado geral sobre cada uma das formas de transporte, e assim podendo fazer um comparativo entra asduas, vendo qual seria mais viável em cada ponto de vista possível.

2 OBJETIVOS
2.1 OBJETIVOS GERAIS
Quanto ao significado de transporte coletivo urbano, embora não tenhamos encontrado uma definição legal específica para o termo, sua definição operacional abrange o transporte público não individual, realizado em áreas urbanas, com características de deslocamento diário dos cidadãos.Adicionalmente, outros fatores que podem contribuir para a caracterização do transporte coletivo urbano são a admissão do transporte de passageiros em pé e a não emissão de bilhete de passagem individual, que é o documento que comprova o contrato de transporte com o usuário. Normalmente, o controle dos passageiros no transporte coletivo urbano é realizado por roleta ou catraca, sendo opagamento realizado em dinheiro ou por meio de vale-transporte.

Em relação aos benefícios legais vigentes, o que já foi consagrado em legislação federal é a equiparação do serviço de transporte semi-urbano ao serviço ao transporte urbano, para fins de gozo das gratuidades consagradas constitucionalmente. Embora tais serviços possam ser de competência municipal (quando não ultrapassamos limites de um município, normalmente entre um distrito e a sede), estadual (quando ultrapassam os limites de municípios), ou federal (quando cruzam divisas estaduais) o entendimento é que, ao fazer referência ao transporte semi-urbano, o legislador federal não.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
O sistema BRT (Figura 1) opera basicamente como o metrô, porém, os custos operacionais chegama ser até 10 vezes mais barato e o tempo de implantação pode ser feito em 18 meses. Com esse modelo de transporte urbano é possível ter segurança, qualidade, integração intermodal, economia, rapidez e conforto.

Figura 1 – BRT
(Manual de BRT – Bus Rapid Transit)



Já o VLT ( Veículo Leve sobre Trilhos)(Figura 2) é uma forma de transporte público sobre trilhos, com custode investimento, capacidade de transporte e velocidade adequadas ao atendimento de diferentes cenários e demandas existentes, insuficientes para o investimento em metrôs e outros modais que necessitem de um investimento superior.

Figura 2 - Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT)
Fonte: Qualidade Urbana

3 DESENVOLVIMENTO
3.1 BRT
O BRT tem um custo de implantação e operaçãorelativamente baixo se comparado a outros modais de transporte, graças à tecnologia 100% nacional e ao espaço exclusivo para operação do sistema, o que permite maior velocidade e regularidade. O seu custo operacional é menos que um sistema de ônibus comum, pois o BRT usa veículos de alta capacidade articulados ou biarticulados.
Com um investimento de R$220 milhões nas cidades acima de 500 milhabitantes, é possível criar e operar 20 km de via exclusiva para o transporte público e seis terminais de integração. A velocidade operacional seria de 20km/h a 35 km/h nos corredores preferenciais e o número de passageiros beneficiados fica em torno de 300 mil com ganhos de 26 minutos por dia por pessoa.
Assim como solução para a reestruturação dos transportes públicos urbanos, comomostra o fluxograma da figura 3, uma ação como essa também contribuiria para a economia de energia e a redução da poluição atmosférica, especialmente se for priorizada a implantação de sistemas que ofereçam melhor qualidade e com tecnologias limpas. Confirmado por pesquisas feitas pela entidade (NTU), sugerem como melhor alternativa para solucionar essas problemáticas.

Figura 3 – Evolução do...
tracking img