Renda nacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1015 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
TÓPICO III – DETERMINAÇÃO DA RENDA NACIONAL
III.1) ECONOMIA FECHADA E SEM GOVERNO
A renda de uma economia, de maneira simplificada, pode ser dividida em duas parcelas: uma consumida e outra poupada.
Dessa forma, pode-se escrever a equação da renda (Y) como : Y = C + S, onde C representa o CONSUMO AGREGADO e S a POUPANÇA.
Sabe-se que, geralmente, a parcela da renda destinada à poupança édestinada ao sistema financeiro e o mesmo terá condições de emprestar esse montante, viabilizando, assim, novos investimentos (I). Portanto, outra identidade fundamental na Macroeconomia é dada por S = I. Logo, podemos escrever Y = C + S = C + I.
Analisando os elementos que compõem essa equação, temos:
CONSUMO AGREGADO:

A função-consumo é dada por
C = C0 + cY
A primeira parcela, C0, representao consumo autônomo, ou seja, aquele que independe da renda para existir. Como exemplo, podemos citar uma criança que não possui renda própria, mas necessita consumir, mesmo não podendo pagar pelas mercadorias. A partir do momento em que a criança se tornar adulta e obtiver rendimentos, estará apta a consumir mais, em uma determinada proporção que a deixe satisfeita, o que chamamos de PROPENSÃOMARGINAL A CONSUMIR e representamos por c.
C
Na verdade, c indicará o percentual da renda que foi consumida. A função-consumo comporta-se conforme o gráfico abaixo:

Y
C0

Quantomaior for a propensão marginal a consumir, mais íngreme será a reta do consumo, mostrando um aumento na velocidade em que a renda é consumida.
POUPANÇA:
A poupança é dada pela renda subtraída do consumo, ou seja, é o que sobra da renda após os gastos dos consumidores. Desenvolvendo...

Y = C + S S = Y – C S = Y – (C0 + cY) S = Y – C0 – cY S = - C0 + Y – cYS = - C0 + Y (1 – c)

O termo (1-c) representa a PROPENSÃO MARGINAL A POUPAR e pode ser representado por s. Assim, a função – poupança pode ser expressa por:
S = - C0 + sY
A soma de c e s deve ser igual a 1 ou 100%. Assim, se c = 0,35, s = 0,65.
S
O gráfico da função-poupança apresenta o seguinte comportamento:

y
- C0Perceba que o gráfico da poupança começa no quadrante negativo, indicando que os indivíduos começam “despoupando”, uma vez que consomem sem haver renda para tal consumo.
Pela condição c + s = 1, a inclinação da reta de função-poupança será maior/menor quando apropensão marginal a consumir diminuir/aumentar.
INVESTIMENTO:
O investimento (I) dependerá de duas variáveis: renda e taxa de juros. Portanto, sua função será expressa em termos dessas variáveis.
Com relação à renda, o seu aumento está relacionado, também ao aumento dos níveis de poupança, que geram o investimento. Portanto, o valor investido terá uma relação direta com a renda gerada pela economia.A taxa de juros, elemento formado pelo prêmio pela liquidez, expectativa inflacionária e risco de inadimplência, remunera a mercadoria moeda. Logo, quanto maior essa taxa, maior a aversão à demanda por essa mercadoria, desde que se esteja falando de investimento produtivo. Assim, esse tipo de investimento reagirá de maneira inversamente proporcional aos juros. A função-investimento é descritaabaixo:
I = I0 + aY – bi , onde:
I0 é o investimento autônomo, independente da taxa de juros. É suprido pelo governo, a partir da aplicação da política fiscal.
a é o percentual da renda destinado ao investimento; b é a sensibilidade do investidor à taxa de juros.
i é a taxa de juros.

Na próxima página estão expostos os gráficos do Investimento em função da renda e em função das taxas de...
tracking img