Relatorio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1246 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Básica e Secundária Dona Lucinda Andrade
Ano letivo: 2012/2013
Disciplina: Biologia Geologia
Local: sala de Biologia (208)

Observação de evaporitos.


Data de realização:
05 de abril de 2013

Índice

Índice 2
Introdução 3
Metodologia/Procedimento Experimental 6
Material Utilizado: 6
Procedimento Experimental: 6
Apresentação de Resultados 8
Discussão deResultados 9
Conclusão 10
Bibliografia 11


Introdução

Os objetivos desta atividade experimental foram:

* Formar minerais por cristalização a partir de uma solução aquosa;
* Formar e observar evaporitos

As rochas sedimentares formam-se à superfície, ou próximo dela, e resultam da alteração, desagregação e rearranjo dos constituintes de uma rocha-mãe preexistente –sedimentar, metamórfica ou magmática – provocados por fatores físicos, químicos ou biológicos. Surgem frequentemente em estratos e conservam vestígios de seres vivos contemporâneos da sua génese.
As rochas sedimentares podem ser classificadas como: detríticas, quimiogénicas e biogénicas.
As rochas sedimentares detríticas são formadas a partir de clastos, materiais detríticos resultantes da erosão derochas já existentes. Estas partículas possuem minerais inalterados ou muito pouco alterados. Estas rochas podem ser não consolidadas, se os clastos se encontrarem soltos, ou ser consolidada, se sofreram um processo um processo de diagénese e os clastos estão ligados por um cimento formado por minerais novos. A classificação destas rochas faz-se, principalmente, atendendo ao tamanho dos detritos.As rochas quimiogénicas são formadas, essencialmente, por materiais resultantes da precipitação de substâncias em solução.
Entre esses processos pode destacar-se a evaporação da água onde as substâncias estão dissolvidas o que leva à formação de cristais que se acumulam constituindo os evaporitos.

Os calcários de precipitação são rochas constituídas essencialmente por calcite. Estescalcários resultam da precipitação de carbonato de cálcio.
O CO2 reage com a água formando ácido carbónico. Essas águas acidificadas provocam a meteorização química dos calcários.
As águas acidificadas que circulam nos maciços calcários vão meteorizando quimicamente essas rochas, resultando da reação hidrogenocarbonato de cálcio, que é solúvel.
Em consequência dessa reação, a rocha fica esculpidapor sulcos e cavidades que parecem autênticos rendilhados, sendo designados lapiás.
Formam-se também aberturas que estabelecem a ligação entre a superfície e uma rede de cavidades e de galerias que foram geradas pelo mesmo processo do interior maciço. Esses grandes espaços são designados por grutas.
Ao gotejar do tecto de uma gruta, por exemplo, cada gota abandona no local de desprendimento umapelícula de carbonato de cálcio (CaCO3) que, por acumulação sucessiva ao longo de muitos milhares anos forma estruturas ascendentes designadas estalactites.
O gotejar constante sobre o solo da gruta também leva à acumulação sucessiva de películas de CaCO3, que formam estruturas ascendentes designadas estalagmites.
Quando uma estalactite e uma estalagmite se juntam formam uma coluna.
Na águaque flui sobre o chão da gruta pode ainda haver precipitação, formando camadas sobrepostas de calcite, que originam uma rocha calcária designada por travertino.

As rochas designadas por evaporitos resultam da precipitação de sais dissolvidos, devido à evaporação da água que os contém em solução.
À medida que ocorre a evaporação da água, os sais menos solúveis precipitam em primeiro lugar,seguindo-se sucessivamente, a precipitação dos sais progressivamente mais solúveis que se vão sobrepondo aos já formados.
O GESSO: Quimicamente é sulfato de cálcio hidratado (CaSO42 H2O), formando cristais transparentes ou massas brancas, de aspecto sedoso, fibroso ou granular.
SAL-GEMA: É constituído, essencialmente, por halite, quimicamente cloreto de sódio.
O sal-gema é pouco denso e...
tracking img