Relatorio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1281 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE – UNESC

CURSO DE MEDICINA

CONSUMO DE FARINHA E VACINAÇÃO EM CRIANÇAS E IDOSOS

AMBULATÓRIO DE INTERAÇÃO COMUNITÁRIA:
RELATÓRIO FINAL

AMBULATÓRIO DE INTERAÇÃO COMUNITÁRIA: RELATÓRIO FINAL

Trabalho de Ambulatório de Interação Comunitária no Curso de Medicina, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.

Professores: José MauroMoraes dos Santos
Aníbal José Sieber Dario

OUTUBRO DE 2011
SUMÁRIO

1-INTRODUÇÃO
2-FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
3- APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS
4-CONCLUSÕES
5-INTRODUÇÃO
6-FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
7- APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS
8-CONCLUSÕES
9-BIBLIOGRAFIA

1- INTRODUÇÃO

Existem diversos tipos de farinhas, por ser um alimento com baixos valores nutricionais muitassão enriquecidas com suplementos alimentares. O tipo de farinha mais consumido pela população é a farinha de trigo, embora todas sejam constituídas principalmente por amido, glúten e armazenem grandes quantidades de calorias e carboidratos. O fator determinante analisado é o consumo de farinha (pergunta 89), constatado que nível de consumo é alto o fator determinante acaba sendopreocupante, pois esta relacionada à obesidade.

2- FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A dieta alimentar recomendada é rica em carboidratos. Foi criada uma pirâmide alimentar de quatro níveis. O primeiro nível, que esta na base e, portanto mais largo, indica que deve ser mais consumido, chegando a 60% do consumo diário, é representado por carboidratos. No segundo nível encontram-se as hortaliças e frutas. Noterceiro nível estão as fontes de proteínas, como ovos e carne. No quarto nível estão as gorduras. Tendo em vista que o FD analisado é o consumo de farinhas, que são fontes de carboidratos, estas se localizam no primeiro nível.
As farinhas são alimentos com baixos valores nutricionais e, portanto estavam ligadas as subnutrição, por serem muito consumidas, levaram o Ministério da Saúde e aAnvisa tornar obrigatória a fortificação das farinhas, através da Resolução - RDC nº 344, de 13 de dezembro de 2002, tanto as farinhas de trigo e de milho vendidas diretamente ao consumidor, quanto aquelas utilizadas como matéria-prima pelas indústrias, na fabricação de outros produtos, devem ser enriquecidas. Para combater altos índices de anemia e de doenças causadas pela deficiência deácido fólico, na população brasileira. Com isso, as farinhas e produtos, como pães, macarrão, biscoitos, misturas para bolos e salgadinhos apresentam maior quantidade de ferro e ácido fólico em sua formulação final.
Atualmente o consumo intenso de farinhas esta relacionado à obesidade principalmente na população de baixa renda, devido ao enriquecimento obrigatório das farinhas, ao combate asubnutrição e ao hábito alimentar da população. Foi comprovada em uma pesquisa do IBGE que quanto maior a renda familiar menor é o consumo de carboidratos, que estão causando obesidade, esta mesma pesquisa revelou que no Brasil existem 38,8 milhões de pessoas com excesso de peso, e 10,5 milhões são consideradas obesas.

3- APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS

a) Apresentação dosresultados e análise em porcentagem:

Das 212 famílias entrevistadas, 97% (n=206)206 consomem farinha em contrapartida 2,83% (n=6) não consomem farinha. Entre os consumidores 23,11% (n=49) consomem pouco, 20,75% (n=44) consomem moderadamente, enquanto 53,3% (n=113) consomem farinha com intensidade.

Consumo de Farinha | n | % |
Não consome | 6 | 2,83 |
Pouco | 49 | 23,11 |
Moderado | 44| 20,75 |
Intenso | 113 | 53,30 |
Total | 212 | 100 |

b) Análise qualitativa dos resultados:

De acordo com os dados anteriormente apresentados, grande parte da população possui o hábito alimentar inadequado, uma vez que 3% não consomem farinha, em contrapartida, 53% consome intensamente, esse consumo está diretamente ligado a obesidade. Sendo ideal o consumo moderado....
tracking img