Relatorio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1764 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CONTAGEM DE CÉLULAS DE LEVEDURA EM CÂMARA DE NEUBAUER E POR “POUR-PLATE” E “SPREAD-PLATE”

1. INTRODUÇÃO

Além da identificação do tipo do microrganismo de um meio, também é importante em alguns casos sua quantificação. Os microrganismos podem ser quantificados de forma direta, contando-se microscopicamente o número de células presentes num determinado material ou superfície, ouindiretamente, efetuando-se análises da turbidez, determinação do peso seco, concentração de substâncias químicas (proteínas, pesquisa de determinada enzima ou produto final de uma via metabólica, DNA, RNA) ou através da contagem do número de microrganismos viáveis utilizando um meio de cultura apropriado.

Esse último método leva em consideração um “quesito” importante para a técnica de contagem,que é a quantificação de apenas células vivas. Pois, em determinadas circunstâncias, como aquelas em que se avalia as práticas higiênico-sanitárias, é preciso determinar a população de células viáveis.
Quando se trabalha com bactérias que formam endósporos ou fungos, muitas vezes, deseja-se determinar o número de esporos/ml da suspensão preparada. Uma das formas mais comuns de se obter estaestimativa é através do uso da câmara de Neubauer, também conhecida como hemacitômetro.
A câmara de Neubauer consiste de uma lâmina de microscopia, bem mais alta do que uma lâmina normal, com marcações em quadrantes, de medidas conhecidas. Observando-se ao microscópio, percebe-se que existem três tipos de quadrantes denominados A, B e C, que juntos formam um quadrado maior.Pode-se notar que estes quadrantes têm subdivisões diferentes, fazendo com que o critério para escolha do quadrante onde serão contados os esporos, seja o tamanho dos esporos a serem quantificados. Assim, usualmente, esporos muito pequenos são contados no quadrante C, os de tamanho intermediário no quadrante B, enquanto esporos grandes são contados no quadrante A. 
E, para efetuar a contagemtotal de microrganismos numa determinada suspensão da amostra faz-se diluições decimais seriadas da amostra e inocula-se, usualmente, pela técnica de “Pour-Plate” ou “Spread-Plate” com Alça de Drigalsky, em meios de cultura apropriados. Após o período de incubação em condições de temperatura e atmosfera adequadas faz-se a contagem do número de colônias.
A diferença de um método para o outro é que ométodo “Pour-Plate” coloca-se, primeiramente, a alíquota de 1ml da amostra com os microrganismos em uma Placa de Petri estéril sem, o meio de cultura, pois esse será colocado por cima dos microrganismos na placa. E, na técnica “Spread-Plate” o meio de cultura já se encontra na placa e os microrganismos são colocados por cima do meio e são espalhados com o auxílio da Alça de Drigalsky.Porém, as “regras” são as mesmas para as duas técnicas de quantificação direta. Sendo elas:
• Príncípio Básico: “Cada colônia é originada do crescimento e multiplicação de 1 célula bacteriana.”
• As placas devem conter de 30 a 300 colônias e para isso fazem-se as diluições seriadas, como o procedimento feito para essa prática..

2. OBJETIVO

Através de um instrumento chamado Câmara deNeubauer e de duas técnicas denominada; “Pour-Plate” ou “Spread-Plate”, proceder à contagem de microrganismos e realizar uma estimativa do número de células presentes na suspensão.

3. PARTE EXPERIMENTAL
Materiais
1) Câmara de Neubauer:
• Câmara de Neubauer;
• Microscópio;
• Pipeta de 5,0 mL;
• Tubos de Ensaio com 9mL de Água Peptonada;
• Estante para Tubos deEnsaio.

2) Pour – Plate:
• Tubos de Ensaio com 9mL de Água Peptonada;
• Estante para Tubos de Ensaio;
• Placas de Petri;
• Pipetas de 5,0mL;
• Bico de Bunsen.
3) Spread – Plate:
• Tubos de Ensaio com 9mL de Água Peptonada;
• Placas de Petri com Meio Agar Nutriente;
• Alça de Vidro – Alça de Driglasky;
• Bico de Bunsen;
• Bécher com Álcool;...
tracking img