Relatorio separação de misturas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2079 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
BACHARELADO EM ENGENHARIA QUÍMICA

PROCESSOS DE SEPARAÇÃO DE MISTURAS

PONTA GROSSA
2011

PROCESSO DE SEPARAÇÃO DE MISTURAS

Trabalho elaborado para a disciplina de Química Geral Experimental do Curso de Engenharia Química, sob orientação da professora Maria Regina como requisito parcial para avaliação e obtenção de nota referente ao 1ºsemestre.

PONTA GROSSA
2011

RESUMO
O objetivo da prática é buscar a aprender identificar a diferença entre um sistema homogêneo, que é aquele que apresenta apenas uma fase; de um sistema heterogêneo, que apresenta duas ou mais fases. E com isso utilizar métodos de separação e conhecer métodos para separar esses sistemas. Para o sistema heterogêneo do tipo sólido e líquido usa-se filtraçãosimples ou a vácuo e para sistemas homogêneos do tipo sólido e líquido usa-se destilação simples.

SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO..................................................................................................3
2 MATERIAIS E REAGENTES...........................................................................3
3 PROCEDIMENTOEXPERIMENTAL...............................................................3
4 RESULTADOS.................................................................................................5
5 DISCUSSÃO E CONCLUSÃO.........................................................................6
6 RESPOSTAS DAS QUESTÕES PROPOSTAS...............................................6
7 REFERÊNCIASBIBLIOGRAFICAS................................................................7

2 INTRODUÇÃO

Para Atkins e Jones (2006, pag 70), os materiais normalmente não são feitos de elementos puros, mas sim de misturas de substâncias mais simples. Assim o ar o sangue e a água do mar são misturas. Os químicos precisam especificar quantitativamente essas misturas.
Segundo Russel (1994, pag 502), uma mistura pode ser identificada como uma solução por uma mera inspeção visual.Se diferentes fases podem ser vistas a olho nu ou por meio de um microscópio, a mistura é heterogênea e não uma solução, se somente uma fase esta presente, então é uma mistura, porém esta distinção pode ser complicada às vezes, principalmente quando as partículas são extremamente pequenas. Um método de laboratório para saber se a mistura é homogênea ou heterogênea baseia-se na medida datemperatura de mudança de fase, onde em uma curva de aquecimento de uma mistura heterogênea de dois componentes sólidos apresenta dois patamares de temperatura em intervalos cuja temperatura permanece constante na temperatura de fusão característica de cada componente. Se a temperatura de mudança de fase de uma substância varia com o prosseguimento de mudança de fase, isto é uma boa evidência de quesubstância é uma solução.
As soluções podem ser classificadas quanto ao estado físico sólido, líquido ou gasoso. Nas soluções gasosas não é possível haver uma mistura heterogênea de dois gases porque todos os gases se misturam uniformemente um com o outro em qualquer proporção. Soluções gasosas têm a estrutura tipicamente de todos os gases, a única diferença entre um solução gasosa e um gás puro é queem uma solução as moléculas não são todas iguais.
As soluções líquidas possuem arranjo molecular típico de um líquido puro: as partículas encontram-se dispostas próximos umas das outras, ainda apresentando uma certa ordem, diferente de um líquido puro. Entretanto, uma solução líquida é composta de diferentes partículas. As soluções sólidas freqüentemente possuem dois tipos, podendo ser umasolução sólida substituinte que exibe uma estrutura cristalina e tem regularidade estrutural, mas na qual a estrutura foi feita ao acaso ou pela existência de partículas diferentes ocupando os pontos do retículo. Já no segundo caso a solução sólida intersticial, átomos diferentes, íons ou moléculas ocupam os vértices e fissura ou interstício, no retículo hospedeiro. (ATIKINS E JONES, 2006)
Segundo...
tracking img