Relatorio clinico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1391 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ESTÁGIO PSICODIAGNÓSTICO

1º ATENDIMENTO MÃE – ENTREVISTA SEMI DIRIGIDA

Data: 05.03.2013

IDENTIFICAÇÃO

Paciente: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Sexo: xxxxxxx

Escolaridade: xxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Responsável: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx (Mãe), do lar, idade, escolaridade.

Dados do Pai: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx, profissão, idade, escolaridade

Data de Nascimento: xxxxxxxxxProntuário: xxxxx

Idade: xxxxx

Escola:

PROCEDIMENTO

No primeiro atendimento usou-se a técnica de entrevista semi dirigida.

OBJETIVO

O objetivo foi investigar e compreender o motivo pelo qual a mãe procurou

atendimento psicológico para a filha.

DESCRIÇÃO DA SESSÃO

A supervisora, na companhia de um dos estagiários foi buscar os pais na sala de

espera, chamando-os pelo nome dacriança. Reunidos, foram acompanhados à sala de

atendimento, onde a estagiária foi à frente guiando-os e a supervisora ao final da fila.

Compareceram a mãe da xxxxxxxx, a mãe da xxxxxxx e a mãe e o padrasto da xxxxxx.

Prosseguiu explicando que o objetivo do trabalho nesse dia seria, durante 45 minutos,

conversarem sobre o que está acontecendo com as crianças e, que poderiam começar noscontando o motivo pelo qual nos procuraram.

onde quisesse.

A mãe iniciou dizendo que a filha não conseguia ler e que desde o ano passado vinha

tentando ajudá-la de todas as formas, mas que segundo suas palavras “não entra na cabeça

dela ler’. Com voz levemente tremula disse que a criança escreve, copia tudo o que está

na lousa, certinho, do jeito que a professora passa só que nahora de ler ela não consegue,

então, por conta disso, a mãe resolveu levá-la na xxxx para verificar se era algum problema

psicológico. Segundo ela, a filha foi atendida e liberada com um laudo e a informação que

não poderiam ajudar, por ser um problema de aprendizado e, nesse caso a escola seria quem a

ajudaria.

xxxx emite um pequeno murmúrio de concordância, mexendo levemente acabeça,

depois de uma pausa se dirige a outra mãe.

Após pausa, xxxx faz um aparte retomando a fala da mãe, dizendo que entende seu

sofrimento causado pela experiência de ser uma pessoa que não teve oportunidade de estudar.

Então, xxxx relatou que com 14 anos trabalhava cuidando de crianças e não quer isso

para sua filha, de forma alguma, e reforçou que parou de trabalhar e vai cuidar dafilha, pois,

sendo mãe, ‘se não correr atrás quem vai correr pra mim, né?’

xxxx questionou se xxxx teve aula de reforço escolar, na escola. E, a mãe confirmou

que sim, durante todo o ano passado. Mas disse que não resolveu a situação, reforçando

novamente o fato de a professora dar lições de segundo ano, por serem as que a filha

consegue resolver melhor, melhor que as de quarto ano.Depois de longa pausa, outras mães se colocaram.

E, finalmente, xxxx anunciou que estava se aproximando o final da sessão. Dirigindo-

se aos responsáveis procurou esclarecer que o trabalho que será realizado será um trabalho de

investigação, para saber o que está acontecendo com a criança e por que neste momento da

vida estão apresentando estes problemas. E, para que este trabalhoseja feito, é necessária a

colaboração e presença deles.

Pediu que retornassem novamente na próxima semana, e avisou-os que as crianças

deveriam vir somente na terça-feira, dia 19.03. Aproveitou-se o momento para distribuir entre

os responsáveis o cartãozinho com os dados de retorno.


ASPECTOS NORTEADORES PARA UMA COMPREENSÃO TEÓRICO-CLÍNICA.

Ela chegou à clínica escola xxxx,encaminhada pela professora da filha, mencionando

que outra aluna da instituição já havia passado por atendimento psicológico com outro

estagiário, obtendo ótimos resultados. Menciona que a filha não consegue ler, apesar de já

estar na 4ª série do ensino fundamental e ter nove anos.

Trouxe consigo um laudo da xxxx, bastante recente, menos de um ano, cujo conteúdo

relato afirma não...
tracking img