Relatorio argamassa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1092 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. INTRODUÇÃO
Este relatório tem por objetivo estudar os critérios de realização e avaliação da classificação dos tipos de argamassas. Desta forma, utilizamos da NBR – 13281/2005 para observar os requisitos exigíveis para as argamassas utilizadas em assentamento e revestimento de paredes e lajes. Sendo as informações válidas tanto para argamassas industrializadas quanto para argamassas dosadasem obra. Para isto, realizamos alguns ensaios como o de índice de consistência e as suas resistências.
Para podermos classificar as argamassas utilizamos as tabelas da NBR – 13281/2005, que definem as características de densidade de massa aparente no estado endurecido e de densidade de massa no estado fresco. Além disso, esta norma relaciona os itens de retenção de água, e das resistências àcompressão, à tração na flexão e a de aderência a tração.
Por motivos acadêmicos a disciplina focou em somente alguns dos aspectos descritos na norma. Estes critérios fazem respeito ao índice de consistência e as suas resistências. Sendo assim, para melhor entendimento descrevemos abaixo as tabelas referentes aos nossos ensaios de índice de consistência, resistência a compressão (tabela 1),resistência a flexão (tabela 2) e a aderência a tração (tabela 3).

Tabela 1 – Resistência à compressão.
CLASSE | RESISTENCIA À COMPRESSÃO (MPa) | METODO DE ENSAIO |
| | |
P1 | ≤ 2,0 | ABNT NBR 13279 |
P2 | 1,5 a 3,0 | |
P3 | 2,5 a 4,5 | |
P4 | 4,0 a 6,5 | |
P5 | 5,5 a 9,0 | |
P6 | ≥ 8,0 | |

Tabela 2 – Resistência à tração na flexão.
CLASSE | RESISTENCIA À TRAÇÃO NA FLEXÃO(MPa) | METODO DE ENSAIO |
| | |
R1 | ≤ 1,5 | ABNT NBR 13279 |
R2 | 1,0 a 2,0 | |
R3 | 1,5 a 2,7 | |
R4 | 2,0 a 3,5 | |
R5 | 2,7 a 4,5 | |
R6 | ≥ 3,5 | |

Tabela 3 – Resistência potencial de aderência à tração.
CLASSE | RESISTENCIA DE ADERENCIA À TRAÇÃO (MPa) | METODO DE ENSAIO |
| | |
A1 | < 0,2 | ABNT NBR 13258 |
A2 | ≥ 0,2 | |
A3 | ≥ 0,3 | |

Osvalores das resistências de compressão e tração na flexão foram obtidos a partir das seguintes equações:
Equação 1 – Resistência à tração na flexão;
Rt=1,5 . Ft .L403
Equação 2 – Resistência à compressão;
Rc=Fc1600

2. PROCEDIMENTOS

3.1. Equipamentos
* Balança com resolução de 0,1g;
* Mesa para índice de consistência;
* Molde tronco cônico;
* Soquete metálico;
*Misturador mecânico;
* Paquímetro para medições até 300 mm, com resolução de pelo menos 1 mm;
* Máquina com leitor de aplicações de forças na vertical com operação manual com unidades em Quilograma-força.

3.2. Amostras
O ensaio teve início com a produção de argamassa para o ensaio de índice de consistência, conforme NBR 13276. Com a argamassa no ponto ideal, preenchemos umtronco de cone com três camadas de alturas iguais, e em cada uma das camadas foi aplicado, respectivamente, 15,10 e 5 golpes com o soquete, de maneira a distribuí-las uniformemente. Por fim, realizamos o rasamento e eliminando qualquer partícula em volta do molde com um pano.
Para encontrarmos o índice de resistência, acionamos a manivela da mesa para efetuar 30 golpes. Ao final, utilizamos opaquímetro para medir o espalhamento do molde tronco-cônico original de argamassa.
Para o ensaio de resistência a tração na flexão, moldamos três corpos de prova, que foram rompidos com 7 dias de cura. Para isto, utilizamos a máquina com leitor de aplicações de forças na vertical com operação manual com unidades em quilograma-força, juntamente com hastes que proporcionaram a flexão do corpo de prova,e assim a sua ruptura. Desta forma, com os valores de carga obtidos através do experimento, foi calculada a resistência à tração por meio da fórmula descrita na norma.
No ensaio de resistência a compressão, utilizou-se os corpos de prova rompidos no ensaio de resistência à tração na flexão, totalizando 6 corpos de prova. Com os valores de carga obtidos através do experimento, foi calculada a...
tracking img