Relatório do teste de conservação de quantidades descontínuas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1812 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Expectativas e Sentimentos das Gestantes Primíparas e Multíparas em
Relação ao seu Bebê

Aline Steinmentz
Franciele Dolejal
Jesse Martins
Natalia Ventura
Priscilla Quadros
Rosana Raupp
Silvana Miss
Stéfany Garcia
Introdução
O nascimento do segundo filho é considerado qualitativamente diferente do primeiro (Groff, 2010). Nesse sentido, o presente estudo busca investigar se há diferença nasexpectativas sobre o bebê das mães primíparas em relação às mães multíparas.
Durante a gravidez a mãe costuma gerar expectativas quanto ao bebê, justamente por estar diante de um ser desconhecido, sem saber como ele será.
Winnicott (1966/1987) destaca que a mãe já foi um bebê e traz com ela as lembranças desse período, mas também as recordações de alguém que a cuidou.
Sabemos que nenhuma gestação éigual à outra, assim como nenhum filho é igual ao outro, sendo assim, as expectativas e preocupações tendem a ser diferentes também.
Segundo o artigo Expectativas e Sentimentos da Gestante em Relação ao seu Bebê (PICCININI; GOMES; MOREIRA e LOPES, 2004), a relação da mãe com seu filho já começa desde o período pré-natal, e se dá, basicamente, através das expectativas que a mãe tem sobre o bebê e dainteração que estabelece com ele.
Deste modo, fizemos uma pesquisa e comparamos as respostas das gestantes grávidas do primeiro filho com as respostas das gestantes grávidas do segundo filho, para investigar se há essa diferença nas suas expectativas e sentimentos em relação ao bebê.

Objetivo
O objetivo deste estudo foi investigar as expectativas e os sentimentos entre as gestantes primíparas eas gestantes multíparas em relação ao bebê. Participaram 6 gestantes, sendo 3 primíparas e 3 multíparas, com idades entre 23 e 40 anos e gestação entre 6 e 38 semanas.
As gestantes foram entrevistadas individualmente e as suas respostas foram comparadas através de análise de conteúdo. Geralmente, a primeira gestação causa mais medo e ansiedade devido ao fato da mãe não ter experiência, já nasgestações seguintes, essas preocupações tendem a ser menor, pois a mãe já tem experiência, mas lembrando de que nenhuma gestação será igual à outra.
MétodoParticipantes
Participaram deste estudo 6 gestantes, 3 primíparas e 3 multíparas, as primíparas com idades entre 23 e 28 anos, e gestação entre 6 e 14 semanas. As multíparas com idades entre 31 e 40 anos, e gestação entre 17 e 38 semanas. Nem todasviviam com o pai do bebê.

ProcedimentosNo primeiro contato com as gestantes foram explicados os objetivos do estudo e apresentado a solicitação de realização de atividade prática, disponibilizado pela instituição de ensino. As gestantes que concordaram em participar responderam a um questionário de oito perguntas relacionadas ao planejamento da gravidez, às preferências pelo sexo do bebê, aescolha do nome, as preocupações com a saúde do bebê, a interação mãe-bebê e os desejos quanto às características psicológicas do bebê. O material foi analisado e comparado quanto às expectativas do grupo de gestantes primíparas e do grupo de gestantes multíparas.

Resultados
Com base em (PICCININI; GOMES; MOREIRA e LOPES, 2004), utilizamos seis categorias temáticas que examinavam as expectativas esentimentos quanto:
1) Planejamento da gravidez;
2) Sexo do bebê;
3) Nome do bebê;
4) Preocupações em relação ao bebê;
5) Interação mãe-bebê;
6) Características psicológicas do bebê.

Planejamento da Gravidez
Em relação às gestantes primíparas, (3 gestantes) relataram que foi planejada a gravidez, já as gestantes multíparas (3 gestantes), afirmaram não ter planejado engravidar.

Expectativas esentimentos em relação ao sexo do bebê

Categoria referencia-se às expectativas com a relação a ter um menino ou uma menina. Os relatos das mães foram classificados em duas subcategorias (PICCININI; GOMES; MOREIRA e LOPES, 2004): crenças quanto ao sexo do bebê e desejo quanto ao sexo do mesmo. As crenças sobre o sexo do bebê foram separadas das gestantes que tinham a confirmação do sexo e as das...
tracking img