Realidade do serviço social de 1940´à 1960

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1576 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 DESENVOLVIMENTO 4

4 CONCLUSÃO 7

REFERÊNCIAS 8

APÊNDICES 9
APÊNDICE A – Instrumento de Pesquisa Utilizado na Coleta de Dados 10

ANEXOS 11
ANEXO A – Título do Anexo 12
INTRODUÇÃO

O assunto abordado mostra a trajetória e os avanços da politicas sociais no Brasil.
No período de 1940 à 1960, comparando após aconstituição de 1988, o povo brasileiro viveu momentos de conquistas e valorização, e o serviço social teve o reconhecimento de sua profissão e pode demonstrar através de sua técnicas filosóficas e psicológicas, visando atender de uma forma mais completa as necessidades da sociedade. Tendo também como apoio a politica através do congresso nacional, assembleia legislativa estadual e da câmara municipalde vereadores em busca de solução para os problemas com objetivos de beneficiar a população.

Aspectos Históricos, Filosóficos, e Psicossociais entre 1940 e 1960

Quando o Serviço Social surgiu no Brasil, na década de 30 do século passado, registrava-se no país uma intensificação do processo de industrialização e um avanço significativo rumo aodesenvolvimento econômico, social, político e cultural. Tornaram-se mais intensas também as relações sociais peculiares ao sistema social capitalista. Quando se coloca em discussão a denominada questão social, dois elementos surgem em destaque: o trabalho e o capital.
O Brasil do fim da década de 1940 e da década de 1950 encontrava-se em meio a uma explosão populacional, sendoum país marcado por grandes desequilíbrios regionais, grandes movimentos de população entre regiões e enormes desigualdades sociais.

O Serviço Social profissional teve suas origens no contexto do desenvolvimento capitalista e do agravamento da questão social. Para compreender as circunstâncias históricas ligadas ao surgimento, dessa profissão no Brasil,estudou-se o contexto da época em que foi criada no País, a década de 30 do século passado, considerando-se como eixo central da análise a questão social em seus aspectos econômicos, políticos e sociais. Nesse contexto, foi promulgada uma série de medidas de políticas sociais, como uma forma de enfrentamento das múltiplas refrações da questão social, ao mesmo tempo em que o Estado conseguia a adesão dostrabalhadores, da classe média e dos grupos dominantes, donos do capital. O governo populista adotava, ao mesmo tempo, mecanismos de centralização político-administrativa, que favoreciam o aumento da produção, dando condições para a expansão e a acumulação capitalista.
Relacionando o Serviço Social com a questão social e com as políticas sociais do estado, tornou-senecessário o debate de alguns elementos da problemática do Estado: o Estado liberal, o estado intervencionista, e as funções educativas políticas e sociais que se desenvolvem no âmbito do Estado moderno. Os processos de institucionalização do Serviço Social, como profissão, estão relacionados com os efeitos políticos, sociais e populistas do governo de Vargas. A implantação dos órgãos centrais e regionaisda previdência social e a reorganização dos serviços de saúde, educação, habitação e assistência ampliaram de modo significativo o mercado de trabalho para os profissionais da área social.
O Serviço Social, como profissão e como ensino especializado, beneficiou-se com esses elementos históricos conjunturais. Ao mesmo tempo em que se ampliava o mercado de trabalho,criavam-se as condições para uma expansão rápida das escolas de Serviço Social.
Por volta de 1945, o Governo Federal investia o necessário na saúde da população. A natalidade nesta época era enorme, caso tivessem sido realizadas campanhas de prevenção, a natalidade teria sido menor, com 6,16 em 1940 para 6,8 filhos por mãe em torno de 1960. Com o alto índice de natalidade,...
tracking img