Radiologia vascular e intervencionista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4091 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Radiologia Vascular e Intervencionista na Urgência

Guilherme Pitta

Radiologia Vascular e Intervencionista na Urgência
Guilherme Benjamin Brandão Pitta Cézar Ronaldo Alves da Silva

INTRODUÇÃO A partir da década de 60 o diagnóstico por meio da angiografia foi acrescido de procedimentos radiológicos intervencionistas, que permitiram através de acesso por cateterismo percutâneotransluminal, o tratamento de hemorragias em órgãos e partes do corpo, através de embolizações terapêuticas ou de estenoses arteriais através da angioplastia.
1

procedimentos, e nos deteremos nas condutas de urgência nos sangramentos, nos traumas vasculares e nos aneurismas da aorta abdominal. Técnicas de cateterismo Para a introdução de cateter no sistema vascular, existem regiões de melhor acesso, comono membro superior através da artéria braquial no terço distal, na face medial do braço e dos vasos axilares na fossa axilar. No membro inferior através dos va sos femorais no trígono femoral. No pescoço através da veia jugular interna na região cervical anterior. Acesso percutâneo A técnica mais usada de acesso do cateter no sistema vascular (artéria e/ou veia) é a punção percuntâneatransluminal, descrita por Seldinger4 em 1953, sendo de preferência os vasos femorais, seguido dos vasos axilares e veia jugular interna. A artéria braquial é mais utilizada como acesso através da dissecção.

Na última década estes procedimentos têm tido um desenvolvimento extraordinário sobre a árvore arterial, ocluindo, dilatando, infundindo e introduzindo endopróteses vasculares, nas mais diversascondutas, tornando não mais um procedimento secundário ou de excessão, mas como tratamento principal, tendo como vantagens: ser pouco invasivo para o paciente, pois é realizado através de cateterismo percutâneo com pequena incisão; ser realizado com anestesia local e sedação; período curto de internação hospitalar e baixo custo quando comparado com o procedimento cirúrgico convencional. As grandeslimitações para realização destes procedimentos são devidas ao custo dos aparelhos de angiografia com fluroscopia, e de recursos humanos, pois necessitamos de indivíduos com treinamento específico para a realização dos mesmos. Neste capítulo abordaremos as técnicas de cateterismo e materiais utilizados nestes
3 2

Técnica de Seldinger Preparo da região e monitorização do paciente Coloca-se opaciente em decúbito dorsal, punção de uma veia periférica, monitorização cardíaca, oximetria de pulso e sedação. Sendo os vasos femorais os mais utilizados para cateterização realiza-se tricotomia pubiana e inguinal prévia, antissepsia e colocação de campos cirúrgicos estéreis. Página 1 de 10

Pitta GBB, Castro AA, Burihan E, editores. Angiologia e cirurgia vascular: guia ilustrado. Maceió:UNCISAL/ECMAL & LAVA; 2003. Disponível em: URL: http://www.lava.med.br/livro

12/09/2002

Radiologia Vascular e Intervencionista na Urgência Anestesia local, punção e introdução do fio guia Palpa-se o pulso arterial femoral a 2 cm do ligamento inguinal, realiza-se anestesia local com 10 a 15 ml de solução de lidocaína a 1% sem vasoconstrictor, na face anterior, laterais e posterior arterial. A agulhade punção é colocada em posição paralela com inclinação em torno de 30 graus em relação a artéria e realizada a punção. A seguir retira -se o mandril da agulha e recua-se a agulha até o aparecimento do fluxo livre de sangue, introduzindo-se o fio guia através da agulha, sem que haja nenhuma resistência. Havendo a necessidade de punção venosa a técnica utilizada é a mesma modificando apenas o localda punção sendo imediatamente medial ao pulso arterial. Cateterização percutânea Retira -se a agulha de punção através do fio guia, e introduz-se o cateter sobre o mesmo. Na maioria das vezes realiza-se heparinização sistêmica com 5.000 UI/ml, EV. Após a cateterização seletiva do vaso a ser estudado, realiza-se a angiografia diagnóstica com a injeção de contraste iodado. Dissecção Quando não...
tracking img