Racionalismo e empirismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1840 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução:
Este trabalho tem como objetivo apresentar a definição de racionalismo e empirismo, além dos pensamentos de René Descartes, Francis Bacon e John Locke.

Desenvolvimento:
O que é Racionalismo:
A origem da palavra Racionalismo provém do latim ratio e significa razão. Esse termo designa a doutrina que atribui única e exclusivamente a confiança na razão dos seres humanos como uminstrumento que seja capaz de descobrir a verdade como um todo. Para os racionalistas, o uso dos sentidos na descoberta da verdade, não são de plena confiança pelo simples fato de ao revés de oferecer-nos a verdade, o que nos proporciona é uma distorção da realidade como um todo. Em síntese, Racionalismo é o método de observas as coisas baseando-se unicamente no que chamamos razão. Também podemosdefinir racionalismo como a doutrina que privilegia a razão como fonte do conhecimento.
O pensamento de René Descartes:
Nasceu na cidade de La Haye (França) em 31 de março de 1596, e morreu na cidade de Estocolmo (Suécia) em 11 de fevereiro de 1650. Descartes foi um importante filósofo, matemático e físico francês do século XVII. Também fez estudos nas áreas da Epistemologia e Metafísica. Descartesé considerado o pioneiro no pensamento filosófico moderno. Pertencente a uma família de prósperos burgueses. Estudou no colégio jesuíta de La Flèche. Ingressando na carreira militar, mudou-se par a Holanda, onde participou de combates contra os espanhóis. Posteriormente, em 1619, viajou por vários países europeus, estabelecendo contatos com vários sábios de seu tempo ,entre eles “Blaise Pascal”[1623-1662]. Temendo perseguições religiosas e tendo em mente a condenação de Galileu, tomou uma série de cautelas na exposição de suas idéias. Apesar disso, o que publicou é suficientemente vasto e valioso para situá-lo como um dos pais da filosofia moderna.
Descartes afirmava que, para conhecermos a verdade, é preciso, de início, colocarmos todos os nossos conhecimentos em dúvida, questionandotudo para criteriosamente analisarmos se existe algo na realidade de que possamos ter plena certeza.
Fazendo uma aplicação metódica da duvida, o filosofo foi considerando como incertas todas as percepções sensoriais, todas as noções adquiridas sobre os objetos materiais . E prosseguiu assim, cada vez mais colocando em dúvida a existência de tudo aquilo que constitui a realidade e o próprio conteúdodos pensamentos. Finalmente, estabeleceu que a única verdade totalmente livre de dúvidas era a seguinte: meus pensamentos existem e a existência desses pensamentos se confunde com a essência da minha própria existência como ser pensante. Disso decorre a célebre conclusão de Descartes.
Penso, logo existo (Cogito, ergo sum)
É preciso esclarecer que o termo pensamento utilizado por Descartes tem umsentido bastante amplo, abrange tudo o que afirmamos, negamos, sentimos, imaginamos, cremos e sonhamos. Assim, o ser humano era para ele, uma substancia essencialmente pensante. O pensamento é algo mais certo do que a própria matéria corporal.
Baseando –se nesse principio, toda filosofia posterior que sofreu a influencia de Descartes assumiu uma tendência idealista, isto é, uma tendência avalorizar a atividade do sujeito pensante em relação ao objeto pensado. Em outras palavras, uma tendência para ressaltar a prevalência da consciência subjetiva sobre o ser objetivo.
Descartes, foi um racionalista convicto, recomendava que desconfiássemos das percepções sensoriais, responsabilizando-as pelos freqüentes erros do conhecimento humano. Foi um grande matemático, teve importante contribuiçãopara a criação da geometria analítica, que tornou possível a determinação de um ponto em um plano mediante duas linhas perpendiculares fixadas graficamente [as coordenadas cartesianas]
Da sua obra-Discurso do método podemos destacar quatro regras básicas, capazes de conduzir espírito na busca de verdade:
1- Regra da evidencia –só aceitar algo como verdadeiro desde que seja absolutamente...
tracking img