Quinagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1055 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice

Introdução 2
Aspectos ecológicos 2
Quinagem 2
Materiais 5
Constrangimentos 5
Vantagens e Desvantagens 6
Exemplos 7
Processos concorrentes 8
Empresas 8
Bibliografia 9

Introdução
A quinagem é um processo de conformação que consiste na deformação plástica de uma superfície plana deespessura constante, permitindo-nos a construção de objectos planificáveis, o método mais conhecido é o origami ou construções em papel que através da aplicação de vincos lineares numa folha bidimensional conseguimos criar um objecto tridimensional, e com esta alteração formal conseguimos também alterar a resistência do objecto final. A aplicação destes vincos é possível devido a grande capacidadeplástica do papel, logo qualquer material com uma capacidade plástica elevada permite-nos quina-lo, como por exemplo o metal.

Aspectos ecológicos
Este processo pode funcionar manualmente ou através de electricidade, logo depende da forma como esta é criada, este processo não utiliza nenhum tipo de consumível nem produz directamente nenhum desperdício de material, indirectamente o desperdíciopode ser produzido no processo de fabrico anterior a quinagem.

Quinagem
A quinagem consiste basicamente na deformação plástica linear de um superfície plana, o mais usual processo de quinagem provavelmente já foi usado por todos nos colocando uma régua no local onde pretendemos aplicar o vinco e forçamos a folha de papel contra a régua muitas vezes aplicamos força sobre o vinco de forma evitaro retorno do material, este mesmo processo aplica-se aos metais a níveis industriais, a questão é que as ferramentas e as forças exercidas são numa escala bem superior.
Nestes três métodos temos uma régua (Vermelho) que empurra o material forçando-o a preencher o vazio existente na matriz (Verde) graças ao regime plástico do metal ele ira ficar na posição onde a régua o colocou (dependendo doregime plástico do material que estiver a ser utilizado). Através da régua conseguimos também controlar o raio do vinco pois o material ira conformar-se segundo a régua.

Quinagem no Ar

O método de quinagem no ar é o mais versátil pois permites-nos escolher o ângulo independentemente da régua e da matriz, basta-mos escolher a força que pretendemos aplicar através da régua para definir oângulo pretendido tendo em conta o retorno do material.

Quinagem a fundo

O método de quinagem a fundo é pensado para evitar o retorno do material, este é forçado a preencher o vazio que existe na matriz mas quando encosta na matriz é prensado pela régua de forma a evitar o retorno do metal.
A grande desvantagem deste método é que nos obriga a ter variados canais e variadas réguas e desta formateremos de trocar de canal sempre que pretendermos mudanças de ângulos, mas utilizando este canal e esta régua podemos utilizar o método de quinagem no ar.


Quinagem com cunha

Uma das abas é fixada por um encostador, enquanto que a outra é dobrada a 90º pela acção do cunho. Com a variação do curso, é possível alterar com facilidade o ângulo de dobragem.

Exemplos de Canais eréguas
Estas laminas e canais são formatos standard, mas podem ser criadas ferramentas para satisfazer as necessitas do fabricante e ainda assim a um preço bastante razoável, oferecendo assim um enorme leque de formas e comprimento, sendo possível ate juntar duas quitandeiras.

Quinagem a quente

A grande diferença deste método para o anterior baseia-se na solução de um problema criado poralguns materiais como o vidro e os termoplástico, o seu regime plástico á temperatura ambiente é praticamente inexistente em comparação ao metal, portanto a solução passa por aquecer o material no local onde pretendemos efectuar a quinagem, permitindo-nos deste modo dobra-lo sem que ele se parta, este método é utilizado em conjunto com os métodos anteriores mas podemos também colocar o material...
tracking img