Quilombos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1121 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
OS QUILOMBOS URBANOS ONTEM E HOJE
 
Quando se pensa em comunidades quilombolas, usualmente a imagem que vem à cabeça é a de grupos isolados, distantes dos centros urbanos, com um modo de vida rural. No entanto, a historiografia nos ensina que muitos foram os quilombos que, entre os séculos XVIII e XIX, viveram nos arredores dos principais centros urbanos gaúchos como Rio Pardo, Porto Alegre eRio Grande. São os chamados quilombos urbanos, que existiram não apenas no Sul do país, mas no subúrbio de cidades como Salvador, Vila Rica e Recife.

Atualmente se conhece a existência de cinco comunidades quilombolas no município de Porto Alegre, no Rio Grande de Sul. Esse não é o único estado brasileiro com a presença de quilombos urbanos. Também é possível encontrar comunidades quilombolasurbanas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Origem dos quilombos urbanos do Rio Grande do Sul
As cidades sulinas contavam com uma grande concentração de escravos africanos. Muitos deles, ao fugir da opressão de seus senhores, escolhiam não abandonar o espaço urbano, já que estavam pouco habituados ao modo de vida rural. Assim, muitos dos escravos fugidos se faziam passar por libertos,contando com a colaboração de ex-escravos alforriados, cativos e também alguns senhores, que eram cúmplices desses agrupamentos (MAESTRI, 2005: 298). Eles sobreviviam de maneira precária por meio da rapinagem, da prestação de serviços e de pequenas atividades mercantis.

Uma das comunidades negras urbanas mais conhecidas do período escravista é o quilombo do Negro Lucas. O quilombo encontrouabrigo na Ilha dos Marinheiros, um lugar de terras férteis e parcialmente coberto por mata. A ilha localizava-se bem diante de Rio Grande, um importante centro urbano do período. De acordo com dados de 1833, os seis homens e as quatro mulheres que formavam o quilombo haviam fugido fazia mais de dez anos (MAESTRI, 2005: 300).

Como viviam muito próximos da cidade, inclusive de seus antigos senhorese das forças repressivas, os escravos do quilombo do Negro Lucas andavam armados e escondidos pela mata da ilha. Os quilombolas resistiram por um longo período até que, em 1833, a guarda nacional realizou uma emboscada e assassinou o Negro Lucas, líder da comunidade. Os demais membros do agrupamento conseguiram fugir e se dispersar, abandonando o local.

Quilombos urbanos nos dias de hojeAtualmente se conhece a existência de cinco comunidades quilombolas no município de Porto Alegre: Alpes, Areal da Baronesa, Comunidade quilombola da Vila dos Sargentos, Família Fidélix e Família Silva. Existem também alguns quilombos urbanos em municípios vizinhos a Porto Alegre. É o caso da comunidade de Chácara das Rosas, em Canoas. Tais comunidades estão organizadas em uma coordenação regionalmetropolitana, compondo uma das seis coordenadorias regionais quilombolas da Federação das Associações das Comunidades Quilombolas do Rio Grande do Sul.

As comunidades de Alpes e Família Silva inicialmente estavam localizadas em regiões periféricas do município. Com o passar do tempo, no entanto, a cidade os alcançou. O desenvolvimento urbano trouxe a valorização de suas terras e conseqüentemente aspressões imobiliárias. O fato de tais comunidades ainda existirem é prova de sua capacidade de organização e resistência.

Dentre os cinco quilombos urbanos de Porto Alegre reconhecidos pela Federação das Associações das Comunidades Quilombolas do Rio Grande do Sul, quatro já estavam, em fevereiro de 2008, com processo de titulação em curso no Incra: Alpes, Areal da Baronesa, Família Silva eFamília Fidélix. Destes, apenas o processo da Família Silva estava em etapa mais adiantada: as suas terras são neste momento alvo de ações de desapropriação instauradas pelo Incra a fim de possibilitar a indenização dos atuais proprietários e a emissão do título em nome dos quilombolas.

A ORGANIZAÇÃO QUILOMBOLA E SEUS PARCEIROS
Desde 2007, os quilombolas do Rio Grande do Sul estão articulados...
tracking img