Quantidades de ulva sp em costões rochosos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1553 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Quantidade de Ulva sp nas diferentes zonações de costão rochosos e influência da exposição ao sol na quantidade de Thais (Stramonita) Haemastoma na Praia da Armação, Florianóposlis-sc



ALUNOS:FLORIANÓPOLIS, SC
OUTUBRO DE 2010

INTRODUÇÃO

O aspecto mais notável quando se observa um costão rochoso pela
primeira vez é a disposição dos organismos em faixas dispotas horizontalmente no costão,onde cada espécie é mais abundante dentro de uma zona onde as
condições favorecem sua sobrevivência. Este padrão de zonação é comum nos
costões rochosos do mundo inteiro. As espécies que ocorrem em cada zona
podem variar em função das diferentes latitudes, níveis de maré e exposição ao ar, entre outros, porém mostram adaptações especiais para viverem nesta área, sendo a zonação, a estruturabásica reconhecida na maior parte dos ambientes de costões rochosos. (Nybakken, 1997).
O limite superior do supralitoral é o local em que não há presença de
respingo (“splash”) de água salgada Espécies de gastrópodes do gênero
Nodilittorina são provavelmente os mais característicos e abundantes animais
presentes na parte inferior do supralitoral. As plantas e os animais do médiolitoral estãosujeitos a períodos alternados de total imersão ou emersão Entre as espécies de algas comumente encontradas na parte superior da zona do médiolitoral destacam-se as espécies de Litothamium, Centroceras, Enteromorpha, Gelidiella, Ulva, Cladophora, Hildenbrandia, etc(Coutinho,2002).
A zona do médiolitoral possui um grande número de animais bentônicos que obtêm seu alimento removendopartículas em suspensão e organismos planctônicos da água do mar Esses incluem principalmente os crustáceos Cirrípedes e os moluscos Bivalves. Os cirrípedes do gênero Chthamalus ocorrem em maior quantidade na parte superior do médiolitoral enquanto que Tetraclita ocupa predominantemente a parte média do médiolitoral. Mexilhões por sua vez, quando presentes em abundância, tendem a ocupar a parte inferiordo médiolitoral. Em locais expostos, o gênero Perna é o dominante nesta zona, enquanto que, em locais protegidos, ela é principalmente ocupada por Brachidontes. (Paula & Oliveira, 1983) Além de Nodilittorina, que pode migrar até a região do médiolitoral (Apolinário et al., l999), existem vários herbívoros característicos desta zona tais como Collisella, Acmaea,Fissurella, etc. Já os gastrópodespredadores estendem-se desde a zona do médiolitoral até o infralitoral, dependendo do batimento das ondas ou da disponibilidade das presas. Entre eles, destacam-se os gêneros Stramonita, Pisania, Morula e Leucozonia.
A zona do infralitoral estende-se deste o limite do médiolitoral até o desaparecimento das algas. Em termos de profundidade, sua posição é bem variada.( Nybakken, 1997).Costões mais expostos (batidos) são aqueles que recebem maior impacto de ondas, são pouco fragmentados, freqüentemente apresentando-se na forma de paredões lisos Por isso, muitas vezes apresentam uma diversidade de hábitats muito menor que os costões menos expostos às ondas (Brehaut,1982) Possuem taxa de produtividade primária bastante elevada, porque existe um grande fluxo de nutrientes entre asalgas, que utilizam esta energia para seu desenvolvimento.
As algas de talos ramificados são favorecidas pela movimentação das águas que impede a superposição, que causaria sombreamento dos talos inferiores. Esta movimentação impede ainda o intenso pastoreio pelos herbívoros, possibilitando o desenvolvimento dos vegetais. A desvantagem da elevada hidrodinâmica é que o embate das ondas é um...
tracking img