Quantidade de faculdades credenciadas no sul e sudeste do pará, nas cidades de marabá e parauapebas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (297 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Com o surgimento da LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação da Nacional em 1996, a implantação de novas faculdades foi facilitada com o objetivo de democratizar o ensino, oportunizandoa inclusão dos cidadãos que não conseguiam ingressar nas universidades públicas.
Na região norte do país mesmo com o surgimento de novas instituições de ensino, este ainda não está aoalcance da grande maioria da população, pois um dos motivos seria que as mesmas estão sitiadas nas capitais e regiões mais “desenvolvidas” como é o caso do estado do Pará. A maioria dasinstituições de ensino superior estão na região metropolitana de Belém, como a UFPA, UEPA, UNAMA e IESAM, estas duas últimas particulares. As universidades públicas até alcançam outras cidades doestado, entretanto por falta de planejamento acabam instalando cursos de baixa qualidade, seja por falta de docente, por falta de equipamentos, entre outros.
Na região sul do Pará, em especialas duas mais desenvolvidas, Marabá possui quatro instituições de ensino superior presencial credenciadas no MEC, a Universidade Estadual do Pará, Universidade Federal do Pará, FaculdadeMetropolitana de Marabá e a Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Marabá em breve mais duas serão instaladas na cidade, Faculdade dos Carajás e a IPEC. Em Parauapebas, onde a Companhia Valetem sua matriz, tem-se apenas três instituições de ensino superior sendo elas a Universidade Federal do Pará, Universidade Rural da Amazônia e a Faculdade Master de Parauapebas, em brevemais uma instituição se instalará na cidade, a Faculdade Metropolitana de Parauapebas.
Ao analisar o potencial econômico das cidades de Marabá e Parauapebas, observa-se que existe demanda parao surgimento de novas universidades tanto pública, quanto privada, assim como há a necessidade da implantação de novos cursos nas universidades que já estão ativas nesses municípios.
tracking img