Qualquer

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1316 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE MONTES BELOS – FMB
ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Adriano Mariano Miranda
Charles Paz de Almeida
Natalia Divina Fernandes
Rômulo Inácio
Sebastiana A. Valério

A SOCIOLOGIA DE DURKHEIM

São Luís de Montes Belos
Março / 2006
INTRODUÇÃO

Durkheim é apontado como um de seus primeiros grandes teóricos. Ele e seus colaboradores se esforçam pro emancipar asociologia das demais teorias sobre a sociedade e constituí-la como disciplina rigorosamente científica.
As regras do método sociólogo, publicada em 1985, Durkheim definiu com clareza o objeto das sociologia-os fatos sociais. Distingue três características dos fatos sociais. A primeira delas é a coerência social, ou seja, a força que os fatos exercem sobre os indivíduos, levando-os aconfirmar-se às regras da sociedade em que vivem independentemente de sua vontade e escolha. Essa força se manifesta quando o indivíduo adota um determinado tipo de formação familiar ou quando está subordinado a determinado código de leis.
O grau de coerção dos fatos sociais se torna evidente pelas sanções a que o indivíduo estará sujeito quando tenta se rebelar contra elas. As sanções podem serlegais ou espontâneas. Legais são as sanções prescritas pela sociedade, sob a forma de leis, nas quais se estabelece a infração e a penalidade subseqüente. Espontâneas seriam as que aflorariam como decorrência de uma conduta não adaptada à estrutura do grupo ou da sociedade à qual o indivíduo pertence.
A educação formal e a informal – desempenha, segundo Durkheim, uma importante tarefa nessaconformação dos indivíduos à sociedade em que vivem, a ponto de, após algum tempo, as regras estarem internalizadas e transformadas em hábitos. A segunda característica dos fatos sociais é que eles existem e atuam sobre os indivíduos independentemente de sua vontade ou de sua adesão consciente, ou seja, são exteriores aos indivíduos. As regras sociais, os costumes, as leis, já existem antes donascimento das pessoas, são a elas impostos por mecanismos de coerção social, como educação.
A terceira característica apontada por Durkheim é a generalidade. Por essa generalidade, os fatos sociais manifestam sua natureza coletiva ou um estado comum ao grupo, como as formas de habitação, de comunicação, os sentimentos e a moral.

DESENVOLVIMETO

Durkheim procurou definir o métodode conhecimento da sociologia. Para ele, como para os positivistas de maneira geral, a explicação científica exige que o pesquisador mantenha certa distância e neutralidade em relação aos fatos, resguardando a objetividade de sua análise. Segundo Durkheim, que o sociólogo deixe de lado suas prenoções, isto é, seus valores e sentimentos pessoais em relação ao acontecimento a ser estudado, poisnada tem de cientifico e podem distorcer a realidade dos fatos. Essa postura exige o não-envolvimento afetivo ou de qualquer outra espécie entre o cientista e seu objeto. Imaginava que, ao estudar, por exemplo, uma briga entre gangues, o cientista não deveria envolver-se nem permitir que seus valores interferissem na objetividade de sua análise. Para ele, o trabalho cientifico exigia, portanto, aeliminação de quaisquer traços de subjetividade, além de uma atitude de distanciamento. Durkheim aconselhava o sociólogo a encarar os fatos sociais como coisas, isto é, objetos que, lhe sendo exteriores, deveriam ser médicos, observados e comparados independentemente do que os indivíduos envolvidos pensassem ou declarassem a seu respeito.
Imbuído dos princípios positivistas, Durkheim queriacom esse rigor, à maneira do método que garantia o sucesso das ciências exatas, definirem a sociologia como ciência, rompendo com as idéias e o senso comum – “achismos”- que interpretavam de maneira vulgar a realidade social.
O conjunto de atos que suscitam na sociedade reações concretas classificadas como “penalidades” constituem os fatos sociais identificáveis como “crime”. A generalidade...
tracking img