Qual o papel do interprete de libras ?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1557 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
| | |
| |FACULDADE DE CIENCIAS LETRAS E EDUCAÇÃO DE PRESIDENTE PRUDENTE/FACLEPP |
| ||
| |LIBRAS |








QUAL É O PAPEL DO INTERPRETE DE LIBRAS?




































PresidentePrudente – SP
2012

QUAL É O PAPEL DO INTERPRETE DE LIBRAS?

A política de inclusão social é fomentada, numa conjuntura de afirmação dos direitos à acessibilidade, o respeito à diversidade e à igualdade de oportunidades. Entre os instrumentos legais para garantir a inclusão social temos a lei de acessibilidade nº 10.098/2000, a lei do Plano Nacional de Educação nº 10.172/2001 e odecreto nº 5626/2005 que regulamenta a leis n º 10.436/2002, que dispõe sobre o reconhecimento da língua brasileira de sinais da pessoa surda e seu direito de comunicar-se em Libras. A legislação representou um passo fundamental no processo de reconhecimento e formação do profissional intérprete de língua de sinais, bem como, sua inserção oficial no mercado de trabalho.
Antes derespaldo legal, o intérprete já era figura presente na comunidade surda estabelecendo a comunicação entre a língua portuguesa e a Libras, seu envolvimento com a comunidade surda levava a pratica do trabalho voluntariado, assistindo o surdo no dia a dia, quando necessária à interlocução. Adquiria o conhecimento da língua através do convívio.
A prática da interpretação inicialmente estevevinculada a atividades religiosas na década de 80, ainda nos anos oitenta realizou-se o primeiro encontro nacional de intérpretes com o apoio da FENEIS (Federação Nacional Educação e Integração do Surdo), o qual deu sequencia a outros, inclusive ao nível estadual e nos anos 90 instituiu unidade de intérpretes nos escritório da Feneis. Mais tarde, serão formadas as primeiras associações de intérpretes.As mais recentes associações estão localizadas em Mato Grosso do Sul com o nome Apilsms, em São Paulo com o nome Apilsbesp e no Rio Grande do Sul.
O profissional intérprete.
É do conhecimento, que a formação do intérprete de Libras esta em processo, as capacitações técnicas para esse profissional tem sido ofertadas ao nível de pós-graduação. Tem a fluência da língua de sinais atravésda prática, sem dispor do aparato teórico que lhe concederia uma graduação especifica na interpretação e tradução da Libras. A falta de formação acadêmica também é prejudicial para produção de pesquisa, a qual é fundamental para divulgação e aperfeiçoamento desse técnico.
O profissional intérprete foi forjado por força da circunstância que demandava o atendimento ao público surdo. Adedicação e a busca por aperfeiçoamento para realizar seu trabalho com eficiência acompanharam o curso das mobilizações dos surdos e a construção das políticas de inclusão geradoras das leis que garantiram o direito da comunicação em língua de sinais. O mais recente instrumento legal de garantia aos direitos do surdo é o decreto nº 5626, dispõe sobre o profissional interprete e sua inserção nomercado de trabalho. O decreto prevê o reconhecimento e admissão como intérprete de Libras, em nível médio e em nível superior, além de outras instituições, onde exista a necessidade da interlocução em Libras; ainda que não tenha formação especifica, enquanto se estrutura a formação de tradutor-intérprete, oferecimento previsto dentro dos próximos dez anos.
Esse profissional foi inserido...
tracking img