Qual a diferença entre lei de say e o princípio keynesiano da demanda efetiva?

A teoria de Keynes é baseada no principio de que os consumidores aplicam as proporções de seus gastos em bens e poupança, em função da renda. Quanto maior a renda, maior a percentagem da rendapoupada.

Assim, se a renda agregada aumenta em função do aumento do emprego, a taxa de poupança aumenta simultaneamente. E como a taxa de acumulação de capital aumenta, a produtividade marginal docapital se reduz, e o investimento é reduzido já que a lucratividade é proporcional a produtividade marginal do capital.

Ocorre então um excesso de poupança em relação ao investimento, o que faz comque a demanda efectiva fique abaixo da oferta e assim o emprego se reduza para um ponto de equilíbrio onde a poupança e o investimento fiquem iguaís.

Como esse equilíbrio pode significar aocorrência de desemprego involuntário em economias avançadas (onde a quantidade de capital acumulado seja grande e sua produtividade seja pequena), Keynes defendeu a tese de que o Estado deveria intervir nafase recessiva dos ciclos econômicos com sua capacidade de imprimir moeda para aumentar a demanda efectiva através de déficits do orçamento do Estado e assim manter o pleno emprego. É importante lembrarque Keynes nunca defendeu o carregamento de déficits de um ciclo econômico para outro, nem muito menos operar orçamentos deficitários na fase expansiva dos ciclos.

Idéia fundamental do princípio:para o estado aumentar a demanda efectiva, ele deve gastar mais do que arrecada, porque a arrecadação de impostos reduz a demanda efectiva, enquanto que os gastos aumentam a demanda efectiva.

Ociclo de negócios segundo Keynes ocorre porque os empresários têm "impulsos animais" psicológicos que os impedem de investir a poupança dos consumidores, o que gera desemprego e reduz a demanda efectivanovamente, e por sua vez causa uma crise econômica. A crise, para terminar, deve ter uma intervenção estatal que aumente a demanda efectiva através do aumento dos gastos públicos.

LEI DE...