Psicose puerperal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1072 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O que é psicose puerperal?

É um quadro clínico severo e agudo que requer acompanhamento psiquiátrico, pois devido à gravidade dos sintomas, há que se considerar o uso de medicação. Todo ciclo gravídico-puerperal é considerado período de risco Para o psiquismo devido à intensidade da experiência vivida pela mulher. Esta experiência pode incidir sobre psiquismos mais ou menos estruturados. Mesmomulheres com boa organização psíquica podem se ver frente a situações em que a rede social falha.

A Psicose Puerperal é um quadro delirante, frequentemente alucinatório, grave e agudo que aparece do segundo dia a 3 meses depois do parto A principal temática dos delírios da psicose puerperal está ligada ao bebê. Os temas mais comuns dos delírios são achar que o bebê não nasceu, foi trocado,está morto ou defeituoso. Tentativas de homicídio contra o bebê podem acontecer. A recuperação da psicose está diretamente ligada a história prévia da paciente. Sendo ela bipolar a recuperação do transtorno se dará de forma natural ou abreviada pelo tratamento.

O pós-parto é um período de risco psiquiátrico aumentado no ciclo de vida da mulher. A depressão pós-parto pode se manifestar comintensidade variável, tornando-se um fator que dificulta o estabelecimento de um vínculo afetivo seguro entre mãe e filho, podendo interferir nas futuras relações interpessoais estabelecidas pela criança. A depressão tenderia a afetar a disponibilidade cognitiva e emocional da mãe, condições inerentes à contingência das respostas; por isso ela tenderia a não ser adequadamente responsiva à sua criança. Aforma como as mães deprimidas lidam com seus bebês parece ser indecisa, insensível e confusa, porque podem lhes faltar as habilidades de resolução de problemas ou a persistência necessária para estabelecer interações sensíveis com sua criança.
Outros fatores, relacionados às condições do parto, à situação social e familiar da mulher gerando sobrecarga, também podem desencadear esses distúrbios. Aintensidade dos sintomas geralmente define os diferentes quadros depressivos do período pós-parto.

Entre 50% a 80% de todas as mulheres apresentarão reações emocionais. Os sintomas incluem crises de choro, fadiga, humor deprimido, irritabilidade, ansiedade, confusão e lapsos curtos de memória. As reações emocionais não psicóticas ocorridas no período de pós-parto se resolvem espontaneamente ematé seis meses, sendo que o manejo consiste em deixar a paciente verbalizar seus sentimentos, enfatizando a normalidade da sua alteração. O tratamento deve ser psicológico e medicamentoso, pois os sintomas podem persistir por até um ano.

CASO 3.1 – ENTRE RAZÃO E EMOÇÃO

O fato aguçado da schnautzer da dona Rosinha, que indicou a presença de algo inusitado na lixeira do edifício, e aperspicácia do zelador conduziram os investigadores da policia á Sra. Alice, de 28 anos, moradora de um dos apartamentos do edifício.

Alice vinha de um relacionamento profundamente frustrante entre ela e o engenheiro Ronaldo, do qual resultou uma gravidez por ela profundamente indesejada. A expressão odeio esse bebê não lhe saia dos lábios; não aconteceram cuidados pré-natais; as amigas não lhe extraíramqualquer manifestação de afeto em relação á futura criança e todas foram unânimes em afirmar que Alice não queria ser mãe

Aos 28 anos, ela havia se tornado uma bem-sucedida profissional de vendas; no ano interior, assumira a supervisão da equipe e os resultados vinham sendo plenamente satisfatórios, o que lhe abria excelentes perspectivas na organização.

Entretanto, a aproximação donascimento do bebê veio acompanhada de notáveis transformações do humor de Alice, o que suas colegas de trabalho e amigas atribuíam a alterações hormonais típicas da gravidez.
O parto ocorreu na costumeira solidão do apartamento; a triste ocorrência foi detectada no dia imediato, para consternação de todos os moradores que sempre nutriam por ela consideração e afeto.

Funções mentais superiores...
tracking img