Psicopedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2254 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL
CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA – EAD

Município: Canoas
Estado: RS
Turma: 102828
Pólo: ULBRA Canoas
Tutor(a): Aline Cruz / Tutora Virtual: Clarice Nascimento
Professor(a) Regente: Claudia Maria Dornelles da Silva
Semestre/Ano: 2010/4

A EDUCAÇÃO VEM DE CASA, O ENSINO DA ESCOLA

Nomes das alunas
Mariela Mazzoncini Martinez – turma 7381
Suzi MarneFleischauer Figueiredo – turma 6045

Durante o curso de Pedagogia, fomos instigadas a questionar e refletir sobre a educação do País, sua história e seu contexto atual. Depois fomos colocadas diante desta realidade e confrontadas com ela. Neste momento percebeu-se que o educando nem sempre quer ser educado, ou veio educado de casa. Percebeu-se a diferença entre educação e ensino.
Ao vivenciar arealidade escolar de nossa região, percebeu-se que o aluno é um reflexo do contexto social no qual está enquadrado. Fomos questionadoras e percebemos que ao olharmos para o passado, assim como o faz Arroyo (1995, pg. 64) gera “um saudosismo romântico misturado ao medo e à prevenção quanto ao futuro” e ainda é predominante no meio educativo este pensamento, pois,
como educarpara o futuro, para a realidade sociopolítica, com esse olhar constante voltado para o passado mitificado? Se dependesse da concepção pedagógica, se eternizaria o passado. Não o passado real, mas o passado idealizado: voltar à infância da história social e política como o ideal do convívio humano (Arroyo, 1995, p.64).


Este conflito, do que foi aprendido, do que foi ensinado e do quefoi vivenciado nos despertou o interesse em separar o que deve ser ensinado em casa e o que deve ser ensinado na escola, e mais, que quando alguém não faz seu papel o outro acaba por sobrecarregar-se indevidamente.
Compreender esta realidade, sua diversidade e adaptar-se à ela é que desperta-nos a criar e buscar as respostas para as perguntas que temos.
Questionamo-nos sobre a realdiferença entre educação e ensino, embora para a maioria das pessoas sejam sinônimos, pois pensam que quem educa ensina e quem ensina educa, encontramos muitas diferenças que, por serem desconhecidas ou desconsideradas, causam conflitos.
Dentro destas diferenças estão os bons hábitos de conduta que podemos perceber perfeitamente como vindos de uma boa educação e isso independe da instrução dapessoa. Por outro lado, maus hábitos de conduta ou uma falha na educação da pessoa, vinda de casa, podem também serem vistos em pessoas bem instruídas, com isso concorda Silva: “[...] a família, pode ser considerada a base de todas as experiências futuras da criança, uma vez que exerce uma forte influência sobre seus componentes, podendo facilitar ou entravar o seu desenvolvimento.”
Comcerteza professores também devem ter a preocupação em passarem valores aos seus educandos, mas a real formação destes hábitos está nos seus lares, no convívio familiar, na base de cada ser. O problema está em delegar esta obrigação de formação de caráter, bem como outras situações advindas destes hábitos à escola, colocando esta responsabilidade que, na verdade, cabe aos pais.


A descobertaApós realização dos estágios, especialmente o terceiro em gestão educacional que foi realizado em uma escola particular de Porto Alegre, cujo projeto tinha o seguinte título: “Bullying: Vigiar é Proteger” e cuja finalidade era prevenir, diagnosticar e combater a prática do bullying, foi possível perceber, aprender e tirar várias lições importantes para as nossas vidas como docentes.Algumas lições foram importantes para que se refletisse sobre o real compromisso que os pais devem ter juntamente à escola em caminharem num mesmo propósito para que possam atingir o objetivo que buscam: construir a educação de seus filhos, pois somente com essa união de família e escola que realmente podemos ver um aluno progredindo de forma integral.
Algo essencial para a vida de todo...
tracking img