Psicologia e educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3032 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO: UMA LONGA HISTORIA
Apesar de “nova” enquanto ciência e profissão (vale lembrar que seu reconhecimento no Brasil data de 1962), a presença da Psicologia já era realidade em nosso país desde o final do século passado e inicio deste século, seja através das teses de conclusão de curso defendidas por médicos da Bahia e Rio de Janeiro, seja como disciplina nos cursosde formação de professores( Yazzle 1990).
Contextos diferentes mas com uma mesma perspectiva teórico-metodologica: a do “ajustamento”, da identificação de distúrbios( sejam estes de personalidade, de conduta, de aprendizagem ), visando a correção dos mesmos ou então a sua prevenção. Sob essa ótica, a Psicologia exerceu sobre a educação...” uma influência bastante nefasta, pois osproblemas de escolarização passaram a ser localizados basicamente nos próprios alunos e em suas famílias, geralmente vistas como desorganizadas e desestruturadas” (Andaló, 1997, p. 169).
Desse modo, mais do que contribuir com a superação do fracasso escolar, a Psicologia historicamente contribuiu para a legitimação do mesmo, e consequentemente, para a manutenção da ordem social vigente. Istona medida em que os problemas sociais eram reduzidos a problemas psiquiátricos, sendo o sujeito visto como “doente mental” em potencial.
Com a regulamentação da profissão, os serviços de Psicologia junto às instituições escolares caracterizam-se por essa perspectiva, a qual ainda não foi superada. Tanto isso é verdade que em um jornal de uma associação de profissionais da áreaencontramos a seguinte referencia à atuação do psicólogo:
“É preciso que nos manifestamos a respeito do nosso perfil profissional, que mostremos o quanto podemos fazer sob a ótica da saúde e do desenvolvimento, que convençamos a todos a todos de que o desenvolvimento de uma criança e de um jovem em um adulto sadio requer atenção e cuidados especiais de uma grande equipe de técnicos, em que o psicólogoEscolar é parte fundamental dessa equipe. Ao mesmo tempo, é preciso que convençamos a todos de que um desenvolvimento saudável na infância previne desajustadamente na idade adulta, ou melhor, de quando jovens aprendem a identificar e a lidar com seus “pesadelos”, eles previnem problemas futuros”.
Sob essa ótica a atuação pauta-se, portanto, em uma perspectiva preventivo-curativa, emque os conhecimentos da Psicologia são utilizados fundamentalmente para o diagnostico e intervenção junto a alunos que apresentam as chamadas “dificuldades de aprendizagem”. Ao psicólogo é atribuída, pois, uma função eminentemente técnica.
Em contraposição, temos a atuação do psicólogo em uma perspectiva social critica, o que caracteriza as discussões e trabalhos que vêm sendodesenvolvidos pelos profissionais ligados à ABRAPSO ( Associação Brasileira de Psicologia Social). Partindo da compreensão de que o homem é social historicamente constituído e, concomitantemente, caracteriza-se como produtor de cultura e historia, a intervenção do psicólogo na escola pauta-se na analise das situações educativas em sua complexidade, considerando os vários aspectos aí envolvidos: históricos,econômicos, políticos, sociais etc.
Uma breve analise destas diferenças diferentes perspectivas de atuação junto às instituições escolares é o que apresentaremos a seguir.

PSICOLOGO ESCOLAR – TECNICO DA EDUCAÇÃO
Desde a sua inserção nas escolas, o psicólogo tem sido geralmente considerado como um técnico que, juntamente com os demais especialistas da educação(orientadores,supervisores e administradores escolares)contribui para a maximização do processo ensino/aprendizagem.
A concepção desse trabalho como especialista técnico - cientifico tem se prestado, no entanto, a fins distintos do que os empregados. Compreender essa outra função nos remete à historia da divisão social do trabalho (DST), fenômeno que se consolidou no século passado. Como nos...
tracking img