Psicologia social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2358 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Anhanguera-UNIDERP Graduação em Serviço Social Disciplina de Psicologia Social e Serviço Social







“Os aspectos culturais e sociais do filme Tropa de Elite”











Claudia Cristina Araújo RA 2330408828 Elaine Cristina Machado SilvaRA 2304310459 Fernanda Padovani Bernardes de Lima RA 2366473614 Lílian Restino RA 2317370966 Profª Tutora: Cristina Ramos Meira











Polo de Ribeirão Preto Setembro de 2012Tropa de Elite um filme brasileiro de 2007, de José Padilha, foi inspirado pelo livro de Luiz Eduardo Soares, e de oficiais do BOPE que contam um pouco do dia a dia destes policiais. Relata o fato social de uma entre muitas comunidades carentes do Rio de Janeiro ou “cidade maravilhosa”.

O filme apresenta à sociedade, um novo grupo de policias, o BOPE (Batalhão de Operações PoliciaisEspeciais), comandado no Filme pelo “herói” Capitão Nascimento, um homem de caráter incorruptível, que inicia sua busca por um substituto, pois sua vida familiar traça novo destino, já que está prestes a ser pai. Busca essa que não se faz fácil, pois a visão dentro da policia militar são de homens deturpados, corruptíveis. O filme relata também a opressão feita na comunidade para tentar extirpar otráfico, os aliciadores, as leis criadas por traficantes. Homens estes que sofreram com a desigualdade social, mas não conseguiram resistir às pressões psicológicas, de tais desigualdades, submetendo-se ao crime organizado, ampliando a marginalização da comunidade ao qual se inserem, mostra também que organizam e executam suas próprias leis, sem dó ou piedade, matam, expõem crianças ao tráfico, desfazem“fronteiras” entre classes sociais, já que o filme trás a crítica aos consumidores de drogas ilícitas, em sua maioria de classe média alta, que favorece a todo um contexto de enriquecimento das milícias, trás ainda o trabalho de algumas pessoas que se beneficiam em cunho próprio, como alguns voluntários de uma ONG na comunidade que estão ali favorecendo o tráfico, pois são usuários e veem umcaminho mais fácil de conseguirem satisfazer seus vícios.

O enredo da historia é a realidade de muitas comunidades carentes, não só no Rio como por todo o País, a valorização deste grupo de policias é digna, porém, é um grupo pequeno perto da milícia criada na sustentação do crime. As diversidades tratadas no enredo nos impulsiona a realidade social ao qual nos inserimos.

Analisamos o individuonuma perspectiva sócio-cultural, o contexto o qual esta inserido é muito relevante , pois são produto do meio onde vivem e se relacionam, estão sujeitos às modificações e adaptações inerentes ao seu local físico e suas expectativas diante da vida. E como somente o Homem é um ser Cultural, poderemos atribuir uma “identidade” que o “iguala” dependendo do seu grupo social, suas crenças e atitudes.Cotrim (2010, p.19) descreve: “cultura é uma criação coletiva dos grupos humanos”, por isso o modo como agimos e estabelecemos nossos conceitos, valores e regras sociais, podem definir nosso papel na sociedade. Podemos dividir hipoteticamente a sociedade em dois lados antagônicos, e dizer que de um lado estão os homens honestos, trabalhadores, ricos, famosos, classes média e baixa, homens comdignidade e do outro lado, o oposto a tudo isso. Seria muito simples se apenas coubesse a nós mesmos fazer esta escolha, não teríamos o outro lado. O que vemos é que existe este lado inverso, que tanto incomoda que “denigre” a imagem de uma sociedade ideal, justa e igualitária.

Nossa fundamentação esta pautada em uma analise dialética dos fatos, o contexto social e econômico mostrado no...
tracking img