Psicologia social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1548 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL












O PROCESSO IMIGRATÓRIO E SUAS INFLUÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO DO VALOR TRABALHO, REMUNERAÇÃO E RENDA.













Teresópolis-RJ
2010
















O PROCESSO IMIGRATÓRIO E SUAS INFLUÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO DO VALOR TRABALHO, REMUNERAÇÃO E RENDA.









Trabalho apresentado aoCurso de Serviço Social da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina de Seminário Integrador.

Orientador: Prof. Giane Abiazzetti








Teresópolis-RJ
2010
SUMÁRIO



INTRODUÇÃO 04


DESENVOLVIMENTO05


CONCLUSÃO 08


REFERÊNCIAS 09






















1 INTRODUÇÃO
O objetivo deste trabalho é analisar o impacto damigração e a distribuição regional de renda no Brasil.
O censo demográfico de 2000 revelou que nada menos de 137.669.439 habitantes residem na zona urbana, o que equivale a 81,22% do total da população brasileira. De acordo com os censos do IBGE, na década de 1960, 13 milhões de pessoas trocaram o campo pela cidade; nos dez anos seguintes, esse número se elevou para 15,5 milhões. Tudo indica quedesde 1970, quando a população rural passou a ser minoritária, até os dias de hoje, mais de 40 milhões de brasileiros migraram do campo para a zona urbana.
A concentração de renda, por uma parte, e a exclusão social, por outra, agravam ainda mais a instabilidade e a insegurança, tanto em nível nacional quanto internacional. A fome e a miséria levam milhões à estrada, à periferia e às ruas, quandonão à desnutrição e à morte!
Veremos agora alguns pontos importantes na historia da migração no Brasil.


















2. DESENVOLVIMENTO

Qual o perfil migratório deste século?

A migração tornou-se um fenômeno planetário, que envolve com partida, trânsito ou chegada todos os países do mundo. Em nível global, 214 milhões de pessoas vivem fora do próprio país de origem.Entre elas, estão incluídos 15,2 milhões de refugiados e 983.000 requerentes de asilo. Acrescenta-se, a este movimento internacional, o número de 27,1 milhões de pessoas, forçados a fugir de uma região a outra, dentro de seu país, e o incalculável número de migrantes internos, que se deslocam, especialmente das zonas rurais, rumo à periferia das imensas megalópoles.
O atual e crescente estímulo aemigrar, portanto, tem como causa: o aumento da desigualdade social e econômica entre o Norte e o Sul do mundo; a falta de perspectiva no âmbito da formação e do trabalho para muitos jovens; as catástrofes naturais e ecológicas; o desequilíbrio demográfico entre os diversos continentes; as guerras; a perseguição política, étnica e religiosa; o terrorismo; a violação dos direitos humanos.
Em todaparte do mundo, a insegurança gera nas populações locais o medo em relação aos migrantes, e leva os governos a elaborarem leis sempre mais restritivas em relação a eles.
Atualmente, a imigração irregular é, neste sentido, um fenômeno estrutural em todas as regiões do mundo. Disso, especialmente, tiram vantagem as organizações internacionais do tráfico humano, enquanto quem paga as conseqüênciasda travessia ilegal das fronteiras são os imigrantes e refugiados, às vezes, com a própria vida.
Uma época de grandes transformações entre a segunda metade do século XIX e o início do século XX. Milhares e milhares de italianos, e outros europeus, deixavam, então, o seu país por causa da pobreza e iam ao encontro das incertezas e dos sofrimentos da migração.
O mundo da mobilidade humana...
tracking img