Psicologia organizacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1087 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução:
O mundo em que vivemos é uma sociedade institucionalizada e composta por organizações. Todas as atitudes relacionadas à produção de bens (produtos) ou prestação de serviços (atividades especializadas) são planejadas, coordenadas, dirigidas, executadas e controladas pelas organizações. Todas as organizações são constituídas por pessoas e por recursos não-humanos (como recursos físicose materiais, financeiros, tecnológicos e mercadológicos, etc.). A vida das pessoas depende intimamente das organizações e estas dependem da atividade e do trabalho daquelas.
Na sociedade moderna, as pessoas nascem, crescem, aprendem, vivem, trabalham, se divertem, são tratadas e morrem dentro das organizações. As organizações são extremamente heterogêneas e diversificadas, de tamanhos ecaracterísticas diferentes, de estruturas e objetivos diferentes. A teoria das organizações é o campo do conhecimento humano que se ocupa do estudo das organizações em geral. Por seu tamanho e pela complexidade de suas operações, as organizações, ao atingirem um certo porte, precisam ser administradas e a sua administração requer todo um aparato de pessoas estratificadas em diversos níveis hierárquicos quese ocupam de incumbências diferentes.
Psicologia é a ciência do comportamento humano (e não-humano), da cognição, da emoção e da motivação. Ela pode ser subdividida em diversas especializações, algumas delas se preocupam basicamente com o próprio conhecimento da psicologia como ciência, enquanto outras voltam-se também para a aplicação daquela ciência( psicologia aplicada). A psicologiaorganizacional se enquadra nessa última categoria ocupando-se tanto da ciência psicológica como com a sua aplicação aos problemas das pessoas nas organizações. Ela se preocupa em compreender o comportamento individual e aumentar o bem-estar dos funcionários no ambiente de trabalho.
O campo da psicologia organizacional tem natureza ambígua. Primeiro, esta é a ciência que se ocupa das pessoas em seutrabalho. Esse aspecto se associa a outras áreas da psicologia, como a cognitiva e a social. Segundo, a psicologia organizacional é a aplicação dos princípios psicológicos da organização e do ambiente de trabalho. Nenhuma outra área da psicologia faz uma correspondência mais próxima entre ciência e prática, fazendo da psicologia organizacional um bom exemplo de como a sociedade pode se beneficiar doestudo da psicologia.
O campo da psicologia organizacional é amplo e diversificado. Muito abrangente, vai desde métodos de contratação de funcionários a teorias de como as organizações funcionam. Esse campo é dedicado a ajudar as organizações a obter o melhor de seus funcionários ou de seus recursos humanos, assim como auxiliar as organizações a cuidar da saúde e do bem-estar dos funcionários.Desenvolvimento:
O conceito de trabalho passou a ocupar um lugar privilegiado no espaço da reflexão teórica nos últimos anos. É certo que podemos falar de trabalho humano desde os primórdios da humanidade. As comunidades de caçadores 8000 anos antes de cristo, a incipiente agricultura nos mais diversos países, o trabalho escravo nas civilizações antigas e a relação servil na idade média são algunsexemplos. A secundarização do fenômeno (trabalho) trouxe a formação de vários conjuntos de idéias divergentes sobre o trabalho, embora com menor poder de influência.

História da Psicologia Organizacional.
A história da psicologia organizacional é uma criação do século XX, com seu inicio no final do século XIX, praticamente desde o início do campo da psicologia. Os primeiros a realizar umtrabalho de psicologia organizacional foram os psicólogos experimentais que estavam interessados em aplicar novos princípios de psicologia para resolver problemas nas organizações, os primeiros trabalhos concentravam- se em questões de desempenho no trabalho e de eficiência organizacional.
Os principais fundadores são Hugo Munsterberg e Walter Dill Scott, psicólogos experimentais, ambos tinham...
tracking img