Psicologia juridica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3368 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TEXTOS FORNECIDOS PELA PROFESSORA

1. O que significa apreensão de um fenômeno de forma multidisciplinar?
Significa que é necessário estudar os costumes, o cotidiano de um individuo para depois criar a melhor forma desse individuo ser incluído à sociedade.

2. Ao ler os textos fornecidos, como você define Psicologia Jurídica?
Psicologia Jurídica pode ser definida como umaciência derivada da Psicologia que tem como função auxiliar a ciência jurídica, fazendo estudos psicológicos e elencando os desvios psíquicos de um individuo (réu).

3. Há algum problema se um psicólogo responder as perguntas do Direito?
Embora Popolo pregue que não há problema para isso, existe sim, pois se trata de duas ciências distintas. Uma auxilia a outra. São como ciênciasgêmeas.

4. Por que os profissionais peritos devem reconhecer os limites de seu trabalho?
Uma vez que a Psicologia Jurídica é uma ciência nova, ainda não foi encontrado um meio preciso de se estudar o individuo. Todo o processo é imprescindível, mas, no momento, pouco objetivo.

5. Como você identifica a diferença entre os termos Psicologia Jurídica e Psicologia Forense?Denotativamente há diferença entre esses termos. Enquanto Psicologia Jurídica refere-se ao Direito propriamente dito, Psicologia Forense indica o foro judicial, os tribunais.
Já a maioria dos juristas preferem adotar o termo Psicologia Jurídica. Outros usam o termo Psicologia Forense.

TEXTO OPCIONAL

1. Cite algumas maneiras utilizadas para se lidar com o louco através da historia.Desde o século XIV ao XVII era constante o preconceito com o louco, dado pela exclusão do individuo indesejados, por valores éticos e morais fortemente enraizados. Para isso, embarcava-os em navios, fechavam-os em celas e calabouços, asilos e hospitais.
Na Europa do século XVII, predominava a internação do individuo por categorias, dentre elas: indigentes, vagabundos e mendigos;prisioneiros; pessoas ordinárias; mulheres caducas; velhas senis ou enfermas; velhas infantis; pessoas epiléticas; inocentes malformados e disformes; pobres bons e moças incorrigíveis.
No final do século XVIII e inicio do XIX, criou-se a 1ª instituição destinada exclusivamente à reclusão dos loucos, o asilo.

2. Os manicômios judiciários conseguem atender o que se propõe?
Não. Para auxiliaros manicômios, o SUS criou uma equipe com multiprofissionais para auxiliar no acompanhamento.
O CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) também é capacitada no atendimento de pessoas mentalmente transtornadas.

3. Como deve ser visto o louco na atualidade?

MEDIDA DE SEGURANÇA (CAP. 8)

1. Definição de Medida de Segurança.
Medida de Segurança é a forma legal que a justiçaencontrou para tratar dos doentes mentais que transgrediram o Código Penal. Visto que um doente mental não pode ser considerado legalmente como criminoso, por outro lado não se pode negar que ele foi um infrator da lei, podendo ser socialmente perigoso, ou seja, podendo prenunciar uma circunstância danificante.

2. Como e onde surgiu?
Surgiu na Inglaterra, em 1860. Construiu-se a 1ªinstituição com a finalidade de custodiar os doentes mentais que tivessem cometido algum ato plenamente ilícito. Ele foi criado em conseqüência da tentativa de homicídio contra o rei Jorge III, cometida por alguém considerado doente mental e que foi absolvido, mas internado por Medida de Segurança.

3. Conceito de periculosidade.
A periculosidade, assim como não-periculosidade, nãodeveria ser considerada como algo permanente e imutável em uma pessoa, na sua personalidade. Ela pode variar no tempo, em função de fatores, internos ou externos ao individuo. A periculosidade não está vinculada ao ato em si (ex.: de matar), mas sim à falta de compreensão do individuo que vai infringir uma imposição legal.

4. Medida de Segurança de caráter primitivo ou não.
Nunca a...
tracking img